Helsinque: quando ir, como circular, passeios, hotéis e mais

Site: http://www.visithelsinki.fi

População: 632.000 hab

Fuso horário: +5h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: São Petersburgo 369 km, Tallin 88 km, Porvoo 52 km, Turku 170 km, Tampere 180 km

Atualizado em junho de 2019

Ex-território da Suécia, ocupada pela Rússia, a Finlândia só se tornou independente em 1917, mas Helsinque existe desde do século 16, quando foi fundada pelo rei sueco Gustav Vasa. Hoje, a capital é a porta de entrada para um dos países com o Índice de Desenvolvimento Humano mais altos do mundo.

Localizada na costa do Golfo da Finlândia, a cidade é rodeada de água, na costa e espalhada em cerca de 330 ilhas. Entre as mais populares, para os habitantes e os turistas, são Pihlajasaari, que tem praia de nudismo, esportes aquáticos e parque de diversões; Suomenlinna, patrimônio mundial da Unesco que abriga uma fortaleza do século 18 para repelir os russos; Vartiosaari, que mescla natureza de bosques e prados com construções históricas; Kuninkaansaari, com praias, campings e pesca; Harakka, que abriga grande diversidade botânica; e Seurasaari, espécie de museu a céu aberto concentrando vários edifícios históricos de madeira que foram levados de toda a Finlândia para lá.

Aliás, em muitas das ilhas se veem fortes e outras construções militares, consequência de um passado conturbado, principalmente nos conflitos com a Rússia.

QUANDO IR

Entre abril e outubro, quando a cidade tem temperaturas mais agradáveis e, consequentemente, é possível aproveitar as várias atrações da cidade. Vá no inverno apenas se o programa for esquiar em algumas da muitas estações da cidade.

COMO CHEGAR

Não há voos entre o Brasil e Helsinque. No entanto, o aeroporto Helsinki-Vantaa é bem conectado com várias cidades europeias, como Lisboa, Frankfurt, Estocolmo, Londres e Amsterdã. Para outras cidades finlandesas, a companhia Finnair oferece voos para Tampere, Rovaniemi e Turku, entre outros.

Ônibus saem da rodoviária Kamppi, com saídas frequentes para Porvoo (1h), Tampere (2h30), Turku (2h30), Savonlinna (5h30) e Kuopio (7h) e Rovaniemi (13h25, serviço noturno). Trens saem da estação central e são uma forma prática para chegar tanto aos maiores centros finlandeses como em São Petersburgo, na Rússia.

A cidade também pode ser alcançada com balsas a partir de Estocolmo e Tallin.

COMO CIRCULAR

A HLS administra o sistema de transporte público, englobando metrô, ônibus, trens e a balsa para Suomenlinna. O bilhete simples, válido para 80-110 minutos, sai a partir de € 2,80, valor que aumenta de acordo com o número de zonas percorridas; o bilhete de 24 horas custa € 8, e há opções para até sete dias (€ 32). Os chamados tíquetes de temporada compreendem períodos de viagens ilimitadas durante 30 dias (€ 59,70) a um ano (€ 637,20), também com faixas intermediárias. O sistema é integrado com aluguel de bikes e patinetes.

Uma alternativa é o Helsinki Card, que permite viagens ilimitadas durante um (€ 42), dois (€ 49) ou três dias (€ 55), além de incluir descontos e entradas para mais de 25 atrações na cidade.

PASSEIOS

Arborizada e super organizada, o centro de Helsinque é um convite a grandes passeios a pé com seus amplos espaços públicos, muitos parques e vida portuária bem agradável. A presença do grande arquiteto Alvar Aalto é sentida em muitos edifícios, mas o grande ícone local é o Tuomiokirkko, a igreja luterana que domina a praça do Senado. Dali são poucos passos para a Catedral Ortodoxa Uspensky e suas paredes de tijolo vermelho, outro símbolo local.

Perca-se por entre as ruas que cruzam o Esplanade Park, o centro social e comercial da cidade, antes de pegar o rumo da avenida Mannerheimintie, onde estão o museu de arte moderna Kiasma, o museu nacional Kansallismuseo, a elegante casa de concertos Finlandia Hall e o imponente prédio que abriga o Parlamento. No final da grande avenida encontra-se o Estádio Olímpico, sede das competições de atletismo dos Jogos de 1952. Próximo dali está o Parque Sibelius, uma agradável área verde construída em homenagem ao compositor Jean Sibelius.

E, claro, com o tempo quente e bom, faça um roteiro de balsas para conhecer as diferentes atrações nas ilhas circundantes – uma boa pedida é um piquenique com sanduíches de salmão defumado e uma cerveja Lapinkulta. Para quem tiver um dia extra, pegue uma balsa e passe um dia em Tallin, na Estônia, um excelente passeio para conhecer uma cidade histórica, patrimônio da humanidade.

ONDE FICAR

Perto do Esplanade Park e de muitas atrações turísticas, o hotel butique Lilla Roberts conta com 130 quartos decorados com bom gosto, restaurante, bar e academia e serviço de babá no quarto (pago à parte). Mais glamuroso, mas também perto de tudo no centro, o Kamp foi originalmente construído em 1887, remodelado em 1965, e é considerado o hotel mais luxuoso da Finlândia. Com a grana mais curta, confira hostels como o CheapSleep Helsinki, que fica mais distante do centro, e mais perto, o The YARD, com quartos individuais, duplos e quádruplos. Para uma hospedagem em meio ao sossego da natureza, a dez minutos da área central, rume para o resort Hilton Helsinki Kalastajatorppa, que abre sua praia particular no verão.

ONDE COMER

Por conta da proximidade e dos anos de ocupação russa, a gastronomia finlandesa conta com muitos restaurantes de culinária caucasiana. Entre eles está o Georgian House Restaurant, que tem entre seus pratos dumplings georgianos, recheados com champignon, e pescoço de porco. Na mesma linha, mas com proposta diferente, a loja-restaurante Finlandia Caviar investe, nas nas prateleiras e no cardápio, em diferentes tipos de ovas de esturjão, além de ostras e salmão. No Esplanade Park, o imponente e histórico Kappeli tem pegada mais escandinava e europeia, com destaque para peixes e sopas. Também não ignore o prazer de comer nas barracas do mercado Kauppatori, com barraquinhas oferecendo paellas, sopa de salmão e bolinhos de bacalhau. Com o tempo ruim, uma opção é Kauppahalli, o mercado coberto. Entre cafés, anote o Café Esplanad, que reúne café, restaurante e uma padaria de onde saem os doces mais tentadores.

DOCUMENTOS

Brasileiros não precisam de visto para até 90 dias de estadia, e o passaporte deve ter validade superior a três meses quando da saída de um países que integram o Espaço Schengen.

DINHEIRO

A moeda oficial é o Euro (EUR).

Informações ao viajante

Línguas: Finlandês, mas a maioria das pessoas domina bem o inglês. Sueco e alemão também são falados.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s