Dresden: bairros, atrações, passeios, onde comer e ficar

Site: https://www.dresden.de/en/tourism/tourism.php

População: 543.825 hab (dados de 2016)

Fuso horário: +4h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Berlim 194 km, Nuremberg 313 km, Rothenburg 411 km, Munique 462 km, Hamburgo 477 km, Lübeck 500 km, Colônia (Köln) 574 km, Heidelberg 528 km

Os sonhos megalomaníacos do príncipe Augusto, O Forte, fizeram de Dresden uma das cidades mais charmosas de toda a Alemanha. Foi ele quem mandou erguer, nos séculos 17 e 18, alguns dos monumentos mais glamorosos da arquitetura germânica, como o Zwinger, o Palácio Residenz e as igrejas de Frauenkirche e Hofkirche.

Quem anda desavisado pelas ruas pavimentadas de pedras, entre os prédios barrocos do século 18 que mais parecem obras de arte, pode não se dar conta de que, em Dresden, nada é antigo de verdade. Tudo, absolutamente tudo foi refeito na cidade depois que os maciços bombardeios aliados na Segunda Guerra não deixaram pedra sobre pedra. A capital da Saxônia é um case de reconstrução, tamanhos a destruição e o êxito na recuperação.

O resultado é encantador. Vista da ponte Augustusbrüke, a cidade brilha se dobrando em duas no reflexo das águas do Rio Elba – ninguém vai recriminar os casais que tiram fotos agarradinhos pra postar no Facebook. As abóbadas verdes inspiram mesmo.

Vista da ponte Augustusbrüke, Dresden, Alemanha

Vista da ponte Augustusbrüke (Ana Claudia Crispim/Viagem e Turismo)

Não sei é por causa das luzes amarelas que iluminaram a cidade ao anoitecer, mas Dresden parece aquele tipo de beleza que pede contemplação. Não é má ideia subir no andar de cima de um ônibus hop-on hop-hof, ligar o audioguia e saltar só quando der vontade.

Mas o turista à moda antiga, que precisa andar pra sentir que conheceu um lugar, não vai enjoar ao caminhar pela Autstadt, a cidade velha. Verá obras de Monet e Rodin no Albertinum, prédio que abriga a Galerie Neue Meister.

Aperitivos no Lila Soße, Dresden, Alemanha

Aperitivos no Lila Soße (Divulgação/Divulgação)

Ficará de boca aberta ao olhar para cima e ver a enorme Frauenkirche, a igreja luterana conhecida carinhosamente como “Mulher Gorda” – a mesma que dá nome à praça onde sempre acontecem festas.

No Residenzschloss, o castelo da cidade, poderá ver obras como o luxuoso Türckische Cammer, um quarto turco reconhecido por ser uma das coleções mais antigas da arte otomana fora da Turquia. Dá vontade de levar a tenda feita de seda e fios de ouro pra casa.

Residenzschloss, Dresden, Alemanha

Suntuoso prédio do o castelo da cidade, o Residenzschloss (Residenzschloss/Divulgação)

O Fürstenzug, que é o paredão na lateral do castelo, reconhecido como o maior mural de cerâmica do mundo! Nem precisava de título algum – os mais de 100 metros de mural com pinturas que retratam cenas da realeza dos séculos 12 ao 20 são motivo suficiente pra ficar zanzando por ali, sem a mínima vontade de ir embora.

Fürstenzug, Dresden, Alemanha

Fürstenzug, o maior mural de cerâmica do mundo (Silvia Otte/Getty Images)

Atravessando o rio está Neustadt, o lado mais modesto da cidade, e que apesar do nome “neu” não tem nada de novo. É na verdade a parte mais antiga e a que foi menos destruída. Neste lado, a atração é o Kunsthof Passage.

Kunsthof Passage, Dresden, Alemanha

A Kunsthof Passage guarda grandes surpresas em seu interior (Ana Claudia Crispim/Viagem e Turismo)

Um ótimo exemplo é o Lila Soße, que sozinho já garante o passeio, não só pelos pratos substanciosos, mas principalmente pelos aperitivos alemães em minipotes de vidro. Com mais tempo, você encontra tudo aquilo que os alemães teimam em enfiar nesses becos silenciosos: árvores, cafés gostosos e comida. Comida boa.

Fachada do restaurante Lila Soße, Dresden, Alemanha

Fachada do restaurante Lila Soße (Ana Claudia Crispim/Viagem e Turismo)

PASSEIOS

Großer Garten

O enorme parque da cidade tem zoo, trenzinho, jardim botânico e o palácio barroco Palais Großer Garten.

Gläserne Manufaktur

A fábrica de paredes transparentes da Volkswagen é programa de menino, mas as meninas também adoram. Para fazer um tour é preciso agendar.

Trabi Safari

A brincadeira é fazer um tour com você ao volante de um Trabant, o carrinho de plástico fabricado na antiga Alemanha Oriental.

NightWalk

É um tour noturno por Neustadt, para descobrir arte de rua, pubs e a história do lado menos famoso da cidade.

Guia VT

Ficar e passear

O QF Hotel é contemporâneo e clean, e o hotel-butique Hyperion Hotel ocupa um prédio histórico. Entre os museus, a Galerie Neue Meister é imperdível. Para comer bem, vá ao Lila Soße, que tem aperitivos em potes.

QF Hotel, Dresden, Alemanha

QF Hotel, em Dresden (Divulgação/Divulgação)

Melhor estação

Para curtir da praia do Rio Elba, nada melhor do que visitar a cidade no verão, em julho e agosto. Por outro lado, no Natal, com a cidade coberta de neve e enfeitada pelas luzes  natalinas, há uma intensa programação de concertos e shows que tornam a visita imperdível.

Língua

Alemão.

Saúde

Para entrar no país, nenhuma vacina é obrigatória.

Documento

O passaporte é necessário mas dispensa de visto, por até 90 dias.

Moeda

Euro.

Por Ana Claudia Crispim

Busque hospedagem em Dresden

Veja tudo sobre a Alemanha

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s