Vou Estudar Fora Por Blog Raquel Marçal ama viajar e aprender línguas e acha melhor ainda quando pode combinar os dois. Acredita que intercâmbio não tem idade e pretende continuar fazendo até os 80 anos

Opções de hospedagem além da casa de família

Por Raquel Marçal Atualizado em 27 fev 2017, 14h37 - Publicado em 15 nov 2016, 19h21

Neste post aqui, falei que a homestay é a opção de hospedagem mais procurada pelos intercambistas. Mas essa não é a única alternativa. Além da casa de família, quem vai fazer um curso de idiomas lá fora também pode optar por dormitório ou residência estudantil, alugar um apê, apelar para o Airbnb ou até ficar num hotel, se o orçamento permitir.

1. Dormitório

Muita gente pergunta: qual a diferença entre dormitório estudantil e residência estudantil? Os dormitórios estudantis são aqueles dos filmes americanos, onde o estudante pode tanto ficar em um quarto só pra ele quanto dividir com um, dois ou três colegas. Os banheiros são compartilhados e, no geral, as refeições são feitas em refeitórios self-service. Os dorms, como são chamados, ficam dentro do campus de uma universidade e podem estar divididos em alas masculinas e femininas. O uso da estrutura do campus, como biblioteca, internet e instalações esportivas, é liberado!

2. Residência estudantil

As residências estudantis seguem mais o estilo das repúblicas brasileiras e nos filmes de Hollywood costumam ser retratadas como no filme Neighbors. Nas residências, os alunos moram em em um prédio ou numa casa, com quartos individuais ou compartilhados. A cozinha e os banheiros são de uso comum.  Os dois tipos de hospedagem proporcionam mais independência do que a estadia em casa de família e, além disso, permitem muito contato com outros estudantes estrangeiros e alunos locais que dividem o mesmo teto. Dependendo da duração do curso, pode sair mais barato do que ficar em casa de família.

3. Apartamento

Quando a estadia é mais longa, o estudante pode ainda considerar a possibilidade de ficar em um apê. As escolas e operadoras de intercâmbio oferecem opções de apartamentos alugados (e têm uma lista de lugares seguros à mão). Também dá para fazer por conta própria recorrendo, por exemplo, a sites especializados, como o Airbnb. Mas os preços são “de turista”… Se for ficar por vários meses ou um ano, dá para alugar um apartamento pelo preço normal e os trâmites envolvem todos os procedimentos regulamentares, como aprovação do locatário, fiador ou pagamento adiantado e a assinatura de um contrato.

4. Hotel

Quer ficar num hotel? As vantagens dessa escolha é que você pode selecionar um que esteja próximo a sua escola, desfruta de conforto, mordomia e independência. O problema, claro, é o preço. Algumas escolas de idioma têm acordos com hotéis em boa localização e podem negociar pacotes com tarifas mais camaradas. Mas ainda assim o gasto tende a ser mais alto do que nas demais opções de acomodação. Outra desvantagem: optando pelo hotel, o estudante tem menos oportunidades de conversar no idioma local. Mas nada que fazer muitas amizades no destino não resolva.

Continua após a publicidade
Publicidade