Vou Estudar Fora Por Blog Raquel Marçal ama viajar e aprender línguas e acha melhor ainda quando pode combinar os dois. Acredita que intercâmbio não tem idade e pretende continuar fazendo até os 80 anos

Como não cair em cilada no intercâmbio voluntário

Veja dicas preciosas para não cair em ciladas ao viajar para o exterior para fazer algum trabalho voluntário; saiba como se proteger nos intercâmbios

Por Julia Latorre Atualizado em 10 Maio 2017, 20h58 - Publicado em 2 set 2015, 20h44

Imagine só: você finalmente realiza o almejado intercâmbio voluntário. O brasileiro Richard Meckien, por exemplo, foi passar duas semanas trabalhando em uma reserva com animais selvagens, em Porto Elizabeth, na África do Sul. Um sonho antigo.

Só que chegando lá, apesar do trabalho envolvente, ele acabou percebendo que o projeto em questão não era lá dos mais bacanas: “Ninguém era ‘bonzinho’ e apaixonado pelos animais na direção da reserva. Apenas depois do fim do programa descobri que escolhi um projeto que estava na “lista negra” da ONG que avalia as reservas”.

Quem me contou essa história foi o pessoal da Seda Intercâmbios. Pensando nisso, elaboramos uma lista para fazer o intercâmbio voluntário da sua vida sem cair em cilada:

volunteer

1. Faça um dossiê

A regra de sempre: pesquisar antes. Tente fazer um levantamento do histórico tanto da agência que te leva (se for o caso), quanto da instituição que você vai trabalhar. É sempre legal procurar alguém que já fez o mesmo programa para trocar ideia. Pesquise sobre o projeto e os beneficiados.

Continua após a publicidade

2. Pense em doar, não em receber

Se o trabalho é bom, no final a gente acaba recebendo até mais do que o dobro de tudo aquilo que a gente doou. Quando digo mais do que o dobro: de amor e carinho. O dinheiro não volta e você não deve ficar pensando em quanto gastou. Lembre-se: trabalho vo-lun-tá-rio.

3. Vá com tempo

Vai demorar pelo menos uma semana para você pegar o ritmo e ir se adaptando à rotina do trabalho. Portanto, é recomendável que fique pelo menos 15 dias para aproveitar e se dedicar 100%. O tempo voa.

4. Esteja por dentro da cultura local

É bem possível que você lide diretamente com pessoas no trabalho. Por mais que eles saibam que você é de fora, é legal chegar sabendo dos costumes locais para não estranhar nada e não parecer desrespeitoso.

5. Faça um upgrade no idioma intermediário

Alguns programas incluem aula de idiomas. Se esse não for o seu caso, é recomendável que você tenha pelo menos o conhecimento intermediário da língua nativa, ou inglês,  para conseguir se comunicar.

Quer me seguir no Instagram? @julialatorre

  • Continua após a publicidade
    Publicidade