E com vocês, Marvila: o bairro mais hipster de Lisboa

Enormes galpões industriais dão lugares a ateliês de arte, espaços de coworking e lojas vintage na região de Marvila, em Lisboa; veja o que fazer aqui

O movimento é comum nos grandes centros urbanos. De tempos em tempos, uma região até então degradada e esquecida, recheada de galpões industriais, vira a nova bola da vez. Primeiro vêm os artistas mais alternativos, depois baladas, ateliês, cafés, restaurantes e pronto: tem-se um queridinho da noite para o dia. Pois Lisboa tem a sua grande aposta nos dias de hoje: Marvila. Anote este nome.

Marvila fica lá depoooois de Xabregas, mas ainda antes do Parque das Nações, do ladinho de Chelas (esses nomes! ). E já está virando reduto hipster. Graças às festas na região vizinha do Braço de Prata e ao perfil de quem está aos poucos se estabelecendo por ali.

Ladrilho hidráulico e decoração retro: o salão do Café com Calma Ladrilho hidráulico e decoração retro: o salão do Café com Calma

Ladrilho hidráulico e decoração retro: o salão do Café com Calma (Bruno Barata/Reprodução)

A primeira vez que eu ouvi falar da região foi ao ficar sabendo que o ateliê de um artista superbacana daqui, o Panda, fica lá. Depois o chef Henrique Sá Pessoa me contou que está montando um mix de laboratório gastronômico e estúdio fotográfico por lá. E desde então eu só ouço um zum zum zum de gente falando de Marvila. Eu também quero um galpão em Marvila. Só não descobri ainda para quê.

O galpão do Cantinho do Vintage: pura perdição O galpão do Cantinho do Vintage: pura perdição

O galpão do Cantinho do Vintage: pura perdição (Bruno Barata/Reprodução)

O coração da região é a Praça David Leandro da Silva. É lá que fica o Cantinho do Vintage, ocupando um galpão enorme, perdição das perdições para quem gosta de coisas com cara de antigamente.

Detalhe do Cantinho do Vintage: cara de casa da avó Detalhe do Cantinho do Vintage: cara de casa da avó

Detalhe do Cantinho do Vintage: cara de casa da avó (Bruno Barata/Reprodução)

Tem de bicicleta a mesa, de telefone a caixa de madeira para vinil, de máquina de escrever a cadeira, de poltronas da avó a placas e luminosos de antigas casas de comércio da cidade. Dá para ficar horas lá dentro sem nem ver o tempo passar.

O galpão da Fábrica Moderna: de impressão 3D a workshops infantis O galpão da Fábrica Moderna: de impressão 3D a workshops infantis

O galpão da Fábrica Moderna: de impressão 3D a workshops infantis (Bruno Barata/Reprodução)

Um dos projetos mais interessantes da região é o da Fábrica Moderna, uma oficina de criação coletiva com espaço para co-working e um maquinário sensacional para ser usado de forma avulsa, incluindo impressão 3D, corte e gravação a laser. Ali rolam de consultorias a startups a workshops infantis.

O brunch do Café com Calma, servido aos sábados: bem hipster O brunch do Café com Calma, servido aos sábados: bem hipster

O brunch do Café com Calma, servido aos sábados: bem hipster (Bruno Barata/Reprodução)

O programa na região só fica completo com uma esticada ao Café com Calma, alguns passos adiante. Especialmente se for sábado, quando rola um brunch até 16h com direito a hambúrguer vegetariano em pão de beterraba, pudim de chia com salada de frutas e batata doce assada (eu disse hipster? ). Custa € 14,90 por pessoa.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s