Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Lisboa: é música com city tour? Ou city tour com música?

Durante dois dias, o Vodafone Mexefest traz dezenas de bandas para animar lugares incônicos do centro histórico da cidade

Por Rachel Verano Atualizado em 6 nov 2017, 18h01 - Publicado em 5 nov 2017, 16h30
O cartaz deste ano
O cartaz deste ano Site Oficial/Divulgação

Verão na Europa é sinônimo de sol, praia e… festival de música. Bastam os termômetros aumentarem um pouquinho para os casacos serem aposentados, as ruas ferverem de gente e a agenda musical começar a bombar.

As ruas do centro, nos arredores dos palcos do festival
As ruas do centro, nos arredores dos palcos do festival Vodafone Mexefest/Divulgação

Em Portugal não é diferente. Os festivais acontecem de norte a sul trazendo algumas das melhores bandas do mundo – e deixando as noites quentes ainda mais longas e animadas.

O Cinema São Jorge no festival do ano passado
O Cinema São Jorge no festival do ano passado Vodafone Mexefest/Divulgação

Mas aí vai chegando o outono e a baixa na programação musical é mais um motivo para um duro choque de realidade na linha GAME OVER. É aí que entra em cena o Vodafone Mexefest. Um festival, digamos assim, fora de época, para dar aquela aquecidinha na alma.

O cine-teatro Capitólio, endereço clássico do centro lisboeta e palco de shows
O cine-teatro Capitólio, endereço clássico do centro lisboeta e palco de shows Vodafone Mexefest/Divulgação

Mas o mais legal do Mexefest, além do efeito psicológico da época do ano em que é realizado, é a sua logística. Trata-se da oportunidade de conhecer alguns dos melhores segredinhos do centro de Lisboa ouvindo boa música. Ou o contrário. 

Um dos shows do ano passado, no espetacular Coliseu
Um dos shows do ano passado, no espetacular Coliseu Vodafone Mexefest/Divulgação

Aos fatos: as apresentações acontecem em vários lugares da Baixa, nos arredores da Avenida da Liberdade. São teatros antigos, salas de cinema centenárias, estações de comboio, salões de palacetes… imóveis incríveis que, por si só, já são grandes atrações. E que, em uma visita corriqueira à cidade, você muito provavelmente não teria a oportunidade de conhecer.

Greg Gonzalez, vocalista do Cigarrets After Sex, uma das cabeças do cartaz
Greg Gonzalez, vocalista do Cigarrets After Sex, um dos headlines – ou, como se diz aqui, cabeças do cartaz Vodafone Mexefest/Divulgação

Além da componente “city tour” do festival, tem ainda outra vantagem: grandes apresentações em versão pocket. Isso significa que você pode assistir ao show da sua master banda preferida em uma simples sala de cinema. Ali, a poucos passos de distância.

Toda a nossa brasilidade representada por esta galerinha do
Toda a nossa brasilidade representada por esta galerinha do <3 Vodafone Mexefest/Divulgação

Tem planos de vir para Lisboa este mês? O Mexefest vai rolar nos dias 24 e 25, com várias apresentações simultâneas. Já estão confirmados no cartaz a banda americana Cigarrets After Sex (), Liars, Destroyer, Childhood e até (oba!) Liniker e os Caramelows, entre dezenas de outros. Os ingressos estão sendo vendidos a € 45 neste link.

Continua após a publicidade
Publicidade