Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Como é viajar para Portugal agora?

Notícias do futuro: poucas máscaras, poucas regras, quase nenhuma exigência de prova de vacina e uma alta temporada que insiste em não acabar

Por Rachel Verano Atualizado em 28 out 2021, 05h38 - Publicado em 27 out 2021, 15h19
O casario de Lisboa a subir uma colina e, no alto, um castelo cercado de muralhas, ao pôr do sol
Vista de Lisboa, com o Castelo de São Jorge no cenário: boas novas da pandemia. Crédito: Bruno Barata/Reprodução

O futuro chegou em Portugal. Com uma das mais altas taxas mundiais de vacinação – mais de 86% da população está completamente vacinada – a vida por aqui já é como ela era. Ou quase. Partidas de futebol lotadas, baladas bombando até o sol raiar, regiões famosas pela vida noturna (como o Bairro Alto, em Lisboa) onde mal se consegue circular a pé. Especialistas já falam até mesmo em uma fase de transição entre o estado de pandemia e o de endemia.

Rua cheia de pessoas com construções antigas dos dois lados e uma ponte de ferro ligando os dois lados
Chiado, em Lisboa: as ruas cheias de outros tempos estão de volta. Crédito: Bruno Barata/Reprodução

Para completar, o verão desistiu de ir embora. Com temperaturas bem acima dos 20 graus nos últimos dias, até as praias seguem em ritmo de alta temporada. Já dá para respirar, literalmente, com calma e sem máscara por aqui.

A realidade para o turista em Portugal agora, em 10 tópicos:

1) O certificado de vacinação não é exigido para o embarque. Basta apresentar o resultado negativo de um teste  RT-PCR feito 72 horas antes (ou um antígeno feito 48 horas antes, com algumas restrições).

2) As máscaras não são mais obrigatórias ao ar livre, mas seguem exigidas em grandes eventos (como partidas de futebol), cinema, shows, festivais, transporte público, táxi, uber e em estabelecimentos comerciais com mais de 400 metros quadrados (como os shoppings).

3) Bares e restaurantes não exigem mais certificado de vacinação e nem o uso de máscara dos clientes.

4) As baladas voltaram com tudo e também sem máscara. Porém, para ter acesso, é preciso ter o comprovante de vacina da União Europeia ou o resultado negativo de um RT-PCR.

5) O Conecte SUS não é reconhecido oficialmente em Portugal – ou seja, nas situações onde é exigido o comprovante de vacinação, a saída é apresentar o resultado negativo de um RT-PCR.

Continua após a publicidade

6) Já são permitidos shows, grandes eventos e partidas de futebol – sem máscara, mas, uma vez mais, com certificado de vacinação da União Europeia ou RT-PCR negativo.

7) Sempre que apresentar o resultado de um teste ou o certificado, é necessário também apresentar um documento de identificação.

8) As fronteiras dentro da União Europeia estão abertas e o controle de embarque segue as regras exigidas em cada país. Não costuma haver controle nas viagens terrestres mas, claro, recomenda-se seguir o protocolo para onde se vai.

Três jovens entram correndo no mar segurando pranchas de surfe
Surfistas na Praia de Carcavelos, nos arredores de Lisboa, esta semana. Crédito: Bruno Barata/Reprodução

9) O “verão” não acabou até agora. Em outras palavras: está tudo cheio e caro. Fazer reservas em restaurantes e em hotéis antes de cair na estrada é mais que recomendado.

10) Não espere promoções – a sensação é a de todo mundo estar tentando recuperar o tempo perdido, tanto como cliente como quanto empresário. Resumindo: há procura, há demanda e nada indica que este cenário deve mudar.

Veja também como está a situação na Espanha

Leia tudo sobre Portugal

Busque hospedagem em Portugal

Continua após a publicidade

Publicidade