Noélia, no Algarve: o restaurante queridinho dos chefs

De frente para a ria em Cabanas de Tavira, o Noélia já é um clássico local

A fachada do restaurante: a graça vem da cozinha A fachada do restaurante: a graça vem da cozinha

A fachada do restaurante: a graça vem da cozinha (Rachel Verano/Reprodução)

Ele fica numa sobreloja de um edifício sem graça nenhuma, divide a esplanada ao ar livre com casas de menu para inglês ver, quase nunca responde a uma chamada telefônica e, ainda assim, é, há anos, provavelmente o restaurante mais concorrido – e querido – do Algarve.

Canja de amêijoas direto da panela: deliciosa Canja de amêijoas direto da panela: deliciosa

Canja de amêijoas direto da panela: deliciosa (Rachel Verano/Reprodução)

Veja também

Esqueça as constelações Michelin que pipocam aqui e ali no extremo sul português. O Restaurante Noélia (que já se chamou Noélia & Jerónimo) é onde os grandes chefs destas casas chiques vêm comer. Um endereço simples mas de comida impecável, preparada sob o comando da própria Noélia, onde nada que não for extremamente fresco tem vez.

Amêijoas e vinho branco: belo start Amêijoas e vinho branco: belo start

Amêijoas e vinho branco: belo start (Rachel Verano/Reprodução)

Depois de insistir algumas vezes ao telefone, foi a própria Noélia quem atendeu e jogou o balde de água fria. Reserva para jantar? Nem pensar, só há vaga para depois do verão. O jeito foi, então, arriscar naquela sexta-feira de julho. Tiramos a sorte grande: foi chegar e sentar, para então assistir o restaurante lotar e as longas filas se formarem na porta. Sorte de principiante.

Atum com papaia e arroz de manga e gengibre: bela surpresa Atum com papaia e arroz de manga e gengibre: bela surpresa

Atum com papaia e arroz de manga e gengibre: bela surpresa (Rachel Verano/Reprodução)

Veja também

Começamos o jantar com uma surpreendente e reconfortante canja de amêijoas (€ 16, para duas pessoas), que chega à mesa na própria panela. Na sequência, escolhemos duas especialidades da casa: as pataniscas de polvo com arroz de coentros (€ 13), que infelizmente estavam com um pouquinho de gordura a mais, e o atum braseado com arroz de gengibre e manga (€ 18), recomendado pela própria cozinheira. Delicioso.

Pataniscas de polvo com arroz de coentros: um pouquinho de gordura a mais Pataniscas de polvo com arroz de coentros: um pouquinho de gordura a mais

Pataniscas de polvo com arroz de coentros: um pouquinho de gordura a mais (Rachel Verano/Reprodução)

Para acompanhar, a casa tem uma carta de vinhos portugueses de fazer inveja a muito restaurante bacana, com rótulos como Barca Velha, Poeira – Ímpar e o espumante Ninfa Platinum Milésime.

Reserve a sua hospedagem no Algarve

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s