Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Passeie de barco em Setúbal e curta o verão delícia de Portugal

Neste passeio de barco é possível ver do mar a Península de Setúbal e se apaixonar por monumentos históricos, água transparente e praias de sonhos

Por Rachel Verano Atualizado em 25 jul 2017, 19h48 - Publicado em 25 jul 2017, 14h48

Se tem uma coisa que este verão delícia está me ensinando é que é sempre possível se surpreender com a costa portuguesa. Toda semana descubro um cantinho perfeito que simplesmente não tinha no radar – e toda semana me apaixono novamente. Pois desta vez a surpresa veio do mar.

O centro histórico de Setúbal: ponto de partida
O centro histórico de Setúbal: ponto de partida Bruno Barata/Reprodução

Domingo, 10h30 da manhã. Embarcamos no Cais das Fontaínhas, em Setúbal (uma fofura de centro histórico que eu também não conhecia), para um dia com direito a prainhas quase desertas, enseadas transparentes, bancos de areia perdidos na imensidão verde-esmeralda e brindes com Moscatel de Setúbal.  

Logo na saída de Setúbal, o Forte de São Filipe: natureza e história
Logo na saída de Setúbal, o Forte de São Filipe: natureza e história Bruno Barata/Reprodução

Logo na saída, o Forte de São Felipe aparece na paisagem. Erguido como ponto estratégico de observação da Barra do Sado, o “castelo” foi mandado construir pelo rei Filipe I nos idos dos anos 1.600.

O Forte de Santiago do Outão: hoje um hospital ortopédico (já pensou se internar com este visual?)
O Forte de Santiago do Outão: hoje um hospital ortopédico (já pensou se internar com este visual?) Bruno Barata/Reprodução

Mais alguns minutos de navegação e chama a atenção o Palácio da Comenda, um casarão debruçado sobre o mar que teria hospedado Jackie Kennedy e os filhos logo depois do assassinato do marido. Infelizmente ele está abandonado e entregue aos grafites, mas é impressionante.

A Praia de Galapinhos (à direita) e a Praia dos Coelhos (à esquerda): difícil escolher a mais bonita
A Praia de Galapinhos (à direita) e a Praia dos Coelhos (à esquerda): difícil escolher a mais bonita Bruno Barata/Reprodução

Aos poucos vai-se abandonando a civilização e tem início uma sucessão de baías de sonhos. Minha curiosidade estava centrada em Galapinhos, eleita recentemente a praia mais bonita da Europa. Primeira impressão: ela é, de fato, linda. Pequenina, de areia fofa, não muito cheia, águas calmas e transparentes. Segunda impressão: ela (felizmente!) não está sozinha.

A Praia dos Coelhos: menos famosa e tão linda quanto a vizinha Galapinhos
A Praia dos Coelhos: menos famosa e tão linda quanto a vizinha Galapinhos Bruno Barata/Reprodução

A vizinha Praia dos Coelhos, com acesso por terra por uma trilha íngreme, também pode ser alcançada na maré baixa, caminhando pelo mar. É ainda mais deserta e protegida. Também merece atenção a Praia do Creio e a Praia de Alpertuche.

Continua após a publicidade
Passeio de caiaque: providencial nas águas calminhas
Passeio de caiaque: providencial nas águas calminhas Bruno Barata/Reprodução

Além de bons mergulhos, é possível passear de caiaque e praticar SUP nas águas calminhas da região. Só é bom preparar o espírito para encarar a água que, quando “quente”, beira os 20ºC. 

SUP pertinho da praia: parece uma piscina
SUP pertinho da praia: parece uma piscina Bruno Barata/Reprodução

Visitar a Península de Setúbal de barco privado tem uma vantagem e tanto: é possível se aproximar da costa até onde os barcos maiores não vão. Ancorar pertinho dos bancos de areia. E curtir todo o visual de camarote, na maior mordomia, sem encarar estacionamentos lotados, trilhas puxadas e o sol inclemente na moleira.

A Praia de Alpertuche: mil tons de verde
A Praia de Alpertuche: mil tons de verde Bruno Barata/Reprodução

A Out of Office (tem nome mais perfeito?), do Flávio e da Ana, executivos do mercado financeiro que estão colocando em prática um delicioso plano B, acaba de ser lançada e se especializa na realização de desejos dos clientes. Um piquenique na praia? Um almoço num restaurante de frutos do mar em uma baía deserta? Brindes ao pôr-so-sol? É tudo num passe de mágica.

Flávio, da Out of Office: uma inspiração de plano B
Flávio, da Out of Office: uma inspiração de plano B Bruno Barata/Reprodução

Para se ter uma ideia dos preços, os passeios custam a partir de € 400, para até 8 pessoas (ou seja, € 50 por pessoa). A duração e o itinerário são combinados à medida.

Um barco pesqueiro no caminho: a região é famosa pelos peixes e frutos do mar
Um barco pesqueiro no caminho: a região é famosa pelos peixes e frutos do mar Bruno Barata/Reprodução

Um tour pela baía e o estuário do Rio Sado costuma ser acompanhado de golfinhos que adoram brincar e chegar pertinho do barco. Não tivemos sorte… Mas com todo este visual, precisar, nem precisava. 

Uma gaivota e, ao fundo, o balneário de Troia: ponto de vista privilegiado
Uma gaivota e, ao fundo, o balneário de Troia: ponto de vista privilegiado Bruno Barata/Reprodução

Anote esta dica: o passeio pela região (a cerca de 45 minutos de carro de Lisboa) fica perfeito com um almoço nos ótimos restaurantes locais. Nossa escolha foi o Ribeirinha do Sado, onde os chocos fritos, as ovas e o robalo, acompanhados de um bom vinho branco gelado, só nos deixaram com vontade de repetir tudo de novo.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade