Piacere, Itália! Depois de passar um mês rodando a Toscana, Bárbara Ligero caiu de amores pela terra da bota e se matriculou em um curso de italiano. Atualmente, está aprendendo a gesticular com perfeição

Os macetes para conhecer a Galleria degli Uffizi, em Florença

Os tipos de ingressos e onde comprar, como furar as filas e quais as salas guardam as maiores preciosidades da história da arte

Por Barbara Ligero Atualizado em 5 fev 2020, 16h43 - Publicado em 28 set 2017, 19h14

Atualizado em março de 2019.

Ninguém sai de Florença sem ter ao menos ouvido falar dos Medici, dinastia que governou a cidade ao longo de 300 anos. Patrocinadora das artes, a família colecionou obras de arte em número e relevância suficientes para compor a Galleria degli Uffizi.

Instalado em um edifício de 1560, o museu guarda o principal acervo de pinturas renascentistas do mundo e, por isso, é uma das galerias de arte mais importantes do planeta.

Como toda atração turística imperdível, essa também tem filas consideráveis na porta, independente do horário ou da época do ano. Mas não se desespere – tem como agilizar um pouco a sua visita:

Onde comprar os bilhetes e como furar as filas?

Corredor da Galleria degli Uffizi Bárbara Ligero/Arquivo pessoal

Existem três maneiras de entrar na Galleria degli Uffizi, da mais prática para a mais complicada:

Com o Firenze Card
Boa opção para quem vai ficar mais tempo na cidade, o Firenze Card dá acesso a maioria das atrações de Florença durante 72 horas e pode ser comprado pelo site por € 85. Uma das vantagens de adquiri-lo é poder furar as filas de todos os museus e monumentos. No caso da Galleria degli Uffizi, há uma entrada especial para os portadores desse cartão, que nem precisam reservar horário. 

Continua após a publicidade

Pela internet
Quem preferir comprar o bilhete avulso pode fazê-lo com dia e horário marcados no site oficial. Tendo feito a compra online, chegue com 15 minutos de antecedência do horário marcado, vá a porta 3 para retirar o seu ingresso e só depois para porta 1, que é a entrada do museu em si. Ali, os funcionários vão liberando grupos de tempos em tempos, mas a espera não chega a ser demorada. A desvantagem é que o site cobra uma taxa de € 4 pelo serviço. Valor: 24 euros.

Na bilheteria
A última opção é deixar para comprar o ingresso na hora, pegando a fila da bilheteria na porta 2. Esse é definitivamente o método mais demorado, mas a minha experiência pessoal até que foi positiva. Visitei a Galleria degli Uffizi durante o verão, que corresponde com a alta temporada, e um painel indicava que a espera na fila seria de duas horas. No entanto, levei apenas uma hora para comprar o bilhete e entrar no museu. Valor: 20 euros (12 euros de novembro a fevereiro).

Dá para fazer uma visita rápida?

Um apaixonado por arte pode ficar quatro horas na Galleria degli Uffizi sem nem ver o tempo passar. Para mim, visitar esse museu é especialmente agradável porque as peças estão organizadas por período histórico e por artista, de forma que você sente estar acompanhando a “evolução” da arte. Fazendo o percurso completo, você verá de arte bizantina aos quadros barrocos de Caravaggio.

Agora, se os museus de arte não são o seu tipo de programa favorito, sugiro que você vá direto para as áreas dedicadas ao Renascimento. Não saia sem ver:

  • Alegoria da primavera e O nascimento de Vênus de Botticelli
  • Anunciação de Leonardo da Vinci
  • Tondo Doni de Michelangelo
  • Madonna del Cardellino de Rafael
  • Vênus de Urbino de Ticiano

E que mais?

Ponte Vecchio fotografada de dentro da Galleria degli Uffizi Bárbara Ligero/Arquivo pessoal

Durante sua visita, faça um esforcinho para tirar os olhos das obras de arte e repare também nas janelas do museu. Elas enquadram vistas perfeitas para a cúpula do Duomo, para o Palazzo Vecchio e para a Ponte Vecchio. A cafeteria do segundo andar também é um ótimo ponto para fotografar a cidade.

Siga-me no Instagram: @barbara.ligero

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade