Piacere, Itália! Depois de passar um mês rodando a Toscana, Bárbara Ligero caiu de amores pela terra da bota e se matriculou em um curso de italiano. Atualmente, está aprendendo a gesticular com perfeição

Civita di Bagnoregio: minha melhor descoberta na Itália

A menos de duas horas de Roma, esse vilarejo encarapitado no topo de uma colina corre o risco de desaparecer, mas ainda guarda cenários de sonho

Por Barbara Ligero Atualizado em 18 fev 2020, 17h23 - Publicado em 19 fev 2018, 18h14

Se você assistiu a novela Esperança, talvez se lembre de algumas das primeiras cenas da trama, que mostravam o jovem Toni, interpretado por Reynaldo Gianecchini, pedalando a sua bicicleta em um charmoso vilarejo italiano. Pois esse vilarejo existe – e é ainda mais bonito do que o que foi mostrado pela Globo.

Cercada pelo Vale dei Calanchi, entre formações rochosas brancas e pontudas, Civita di Bagnoregio fica no alto de uma colina e é ligada ao restante da “terra” apenas por uma ponte, que foi construída em 1965. Mas sua existência é muito anterior a isso: tudo indica que ela foi fundada pelos etruscos, antes mesmo do período romano.

Dale Musselman/Flickr

Acontece que, desde aquela época, o povoado vem perdendo a sua área por conta da erosão e dos terremotos, que foram fazendo com o que os habitantes abandonassem o lugar. Com o real risco de desaparecer do mapa, Civita di Bagnoregio recebe o apelido de città che muore, ou seja, cidade que morre. Pensar que o vilarejo está se acabando é de partir o coração, mas é também nisso que está o seu principal encanto.

  • Para começar, não passam carros pela ponte (apenas pedestres, bicicletas e scooters), as antigas casas de pedra foram preservadas e a cidadezinha não chega a ter nem 20 moradores. Graças a essa combinação, a sensação é de ter voltado no tempo – e essa é a atração em si.

    Philip Hay/Flickr

    Não há pontos de grande relevância para conhecer ali dentro: destacaria apenas os remanescentes etruscos, a igreja da praça central e o Cancello (portão) della Casa di San Bonaventura, um portão que dá direto para um abismo, já que a casa em si deixou de existir com as erosões. Fora isso, o programa consiste em caminhar pelas ruas e apreciar as construções de pedra, muitas delas caprichosamente decoradas com flores nas portas e janelas.

  • É um lugar realmente pitoresco, de uma simplicidade linda, e um dos cantinhos que eu mais gostei até agora na Itália. Interessante pensar que é uma cidade que está morrendo, mas que continua viva e ao mesmo tempo quase não muda com o decorrer dos anos.

    Linda Sheperd/Flickr

    Como chegar

    Civita di Bagnoregio fica na divisa do Lazio (região da capital Roma) com a Úmbria (onde fica a cidade de Assis). Para quem está viajando de carro, já sugeri aqui que o vilarejo seja encaixado no trajeto de Roma e Florença. Basta guiar até a cidade de Bagnoregio, deixar o carro no estacionamento próximo à ponte e seguir caminhando até Civita di Bagnoregio em si. De trem, as estações mais próximas são de Viterbo e Orvieto. Dessas cidades, será preciso pegar um ônibus até Bagnoregio.

    Siga-me no Instagram: @barbara.ligero

  • Continua após a publicidade
    Publicidade