Vem cá: quero te mostrar uma Nova York autêntica, sem clichês

A cidade tem bairros com muito mais personalidade e surpresas do que os retratados nos cartões postais. E com várias delícias para você experimentar! :)

No último final de semana, marquei um piquenique na praça comunitária perto de casa e, ao chegar lá, me deparei com um evento de despedida e homenagem a uma árvore.

Sim, você leu certo, em plena Nova York, no meio de Manhattan, pessoas gastaram algumas horas do domingo para se reunir ao redor de uma árvore, com mais de 40 anos, que será cortada nos próximos dias. E cantaram, compartilharam comida, votaram por uma substituta…

La Plaza Cultural é um dos muitos parques comunitários de Nova York e perderá sua árvore mais antiga (e alta) nessa semana. Os vizinhos se reuniram ao redor dela para se despedir (Marco Gomes/Arquivo pessoal)

Isso me fez pensar que, nesse um ano aqui, eu tive o privilégio de conhecer e me apaixonar por uma cidade muito diferente da dos guias. Onde há manifestações para que não abram mais uma Starbucks, uma chocolateria em que o carro chefe é um bombom chamado “vulva furiosa”, e uma loja de vinhos que faz piada com as polêmicas do presidente.

Uma Nova York tão autêntica e interessante, que decidi fazer uma seleção com os alguns dos lugares mais acolhedores, curiosos e imperdíveis dessa minha cidade.

Comida que faz carinho por dentro

Quando eu acordo meio desanimada ou quero apenas comer um pãozinho gostoso, ouvindo de música brasileira a Beatles, vou até a Zucker Bakery. Pequenininha, com o melhor cinnamon roll da vida (que aqui chama Rose) e chás gelados que valem a visita, ela é um refúgio em meio ao East Village.

As Roses de canela ou chocolate, da Zucker Bakery, curam qualquer tristeza ou desânimo e, se forem acompanhadas de um chá gelado de menta, não há cansaço que resista 😉 (Zucker Bakery/Divulgação)

Na mesma rua, a 9th street, está o Whitman’s, com os seus já famosos hambúrgueres – recomendo especialmente o Bacon, Egg e Cheese e o House -, sem filas ou muvucas. E também a chocolateria vegana Confectionery, que vende, além de bombons com nomes divertidos, macarrons, bolos e tortinhas deliciosas.

Se eu pudesse indicar apenas uma coisa que você deve experimentar em Nova York na sua próxima visita, como certeza seria: pastrami. Ele é basicamente o peito do boi curado e defumado, cozido lentamente e muito, mas muito saboroso.

O meu favorito é servido dentro de um bun – pãozinho feito no vapor -, com maionese, alface e picles de cebola e pepino, no Momofuku Noodle Bar. Sim, esse é um dos restaurantes do chef David Chang, mas não é caro e ainda serve deliciosos noodles. O pastrami do Harry & Ida’s, que eu comentei no post da Anitta, também é maravilhoso.

Os hambúrgueres que me desculpem, mas o melhor sanduíche de Nova York, para mim, é esse bun de pastrami, do Momofuku Noodle Bar (Marco Gomes/Arquivo pessoal)

Nova York like a local

Eu sei que a maioria das pessoas quer andar e, principalmente, tirar fotos nos lugares turísticos de sempre, mas há bairros menos populares que são muito interessantes. Ainda mais se você gosta de gastronomia, arquitetura…

Little Italy é uma das roubadas da cidade, na minha opinião, e tem uma vizinha muito mais interessante e autêntica: China Town. Não faça careta antes de ler as próximas linhas! Esse bairro tem os mercados mais divertidos e diversificados da cidade, sorveterias muito gostosas (infinitamente melhores que os “fake gelatos” do lado italiano), barraquinhas com frutas do mundo todo e contrastes que dão excelentes fotos.

E quem dirá que não dá para tirar boas fotos em Chinatown? E você pode aproveitar para tomar bons sorvetes, como esse do Soft Swerve, feito com um tipo de batata doce, cujo sabor lembra bastante o de milho verde (Talita Ribeiro/Arquivo pessoal)

Ainda é possível combinar um passeio a pé por Chinatown com uma uma visita ao International Center of Photography, que tem as melhores exposições de fotografia. E, se você gostar de arte contemporânea ou arquitetura, seguir para o belíssimo New Museum.

Outro bairro charmosíssimo e pouco explorado por turistas é o Greenwich Village, que muita gente só conhece porque é o lugar onde fica o prédio (a fachada) da série Friends. Além de ter construções muito bonitas, como a Biblioteca Jefferson Market, essa região tem vários restaurantes deliciosos, como o italiano Olio a Piú e o japonês Sushi Nakazawa – bem mais caros que as dicas que costumo dar, mas que valem cada dólar.

Se quiser fazer um passeio de dia inteiro, pode caminhar pelo Greenwich Village, partindo da Union Square, parando no Dominique Ansel Kitchen – que é mais tranquila que a Bakery, no Soho -. e seguindo em direção ao Chelsea. Mas não se limite a comer no Chelsea Market, ande também pelo Highline, tome um café na Blue Bottle, se gostar de arte, vá até o Whitney Museum

Porque é legal ver tudo o que todo mundo que veio para cá já viu, mas pode ser surpreendente se permitir conhecer algo diferente. Fica aqui o meu convite 🙂

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Quero Ser Designer

    Nova York é sempre uma cidade surpreendente a cada visita, porém é preciso ter olhos de ver tudo o que esta extraordinária metrópole oferece a seus visitantes e turistas.
    Bom mesmo seria passar uma temporada inteira por lá…

    Curtir