Sobre Tim Maia, multas evitadas num app, Vila Madá, Guiné Bissao, Moçambique e Angola

Era carioca do Leme ao Pontal, mas um malandro que nunca entrou na onda de Vinícius de Moares e Nélson Rodrigues, que não perdiam uma oportunidade de esculhambar São Paulo, ainda que com bom humor.

A travessa Tim Maia resiste / Arquivo pessoal

A travessa Tim Maia resiste / Arquivo pessoal

Assim, foi tributado até na boêmia e grafiteira Vila Madalena com a Travessa Tim Maia, que está longe de ser um Beco do Batman, um Beco do Aprendiz, um Beco das Corujas. Mas não deixa de ter alguma arte ali.

A viela tá meio derrubada, tipo o Tim depois do goró / Arquivo pessoal

A viela tá meio derrubada, tipo o Tim depois do goró / Arquivo pessoal

Tim também inspirou um aplicativo que pode ajudar você a não gastar grana de bobeira. Pior, não dar para os políticos R$ 85 e ainda levar 4 pontos na CNH.

É que agora o farol do carro deve ser aceso nas estradas a qualquer hora do dia, o que motivou a crianção do aplicativo Acenda o Farol. É que muita estrada tem um perímetro urbano que confunde muito, sobretudo, em SP, na Anchieta e na Raposo Tavares.

Pelo localizador, quando você adentrar uma estrada, o Tim canta, ideia do estudante de engenharia goiano Herbert Valim. Enquanto isso, ouve aí o Tim em 1978 no Réveillon da TV Tupi:

Por falar no cara… Disco lançado em 1976, Tim Maia Racional vol.2 imortalizou a independência de um trio de ex-colônias portuguesas, uma colonização mais que nefasta, aliás.

A fase racional que ele renegou depois / Reprodução

A fase racional que ele renegou depois / Reprodução

 

E como andam Guiné Bissau, Moçambique e Angola? Numa relax, numa tranquila, numa boa? A ver:

GUINÉ BISSAU NUMA RELAX? NADA…
Apesar da independência da colonização exploratória portuguesa e da castanha-de-caju, é o 11º país mais pobre do planeta. Turismo? Nem pensar. Fora que a maioria do bissauenses não fala bem o português.

MOÇAMBIQUE NUMA TRANQUILA
Com mix de safaris e praias, até o NY Times exalta o país: Benguerra ganhou o hotel AndBeyond (diárias a U$ 1100), há novo cruzeiro Cox & Kings por Inhambane (U$ 695, 4 dias) e Maputo se abre ao LGBT.

ANGOLA NUMA BOA, EM TERMOS
As mazelas até melhoraram, mas Luanda é uma cidade cara e sem encantos. No frigir dos ovos, não vá; se for, prove a lula com quiabo da Kitanda da Esquina, uma das tascas do chef português Vitor Sobral.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s