de Mochila São 65 litros de histórias, encontros, emoções e aventuras. Com seu pequeno universo agarrado às costas em forma de mochila, Diego Macedo nunca volta o mesmo que partiu!

Minha mãe e minha primeira viagem

Obrigado mãe, por despertar minha curiosidade e me apresentar o mundo!

Por Diego Macedo 12 Maio 2019, 17h12

Hoje estava pensando na primeira viagem que eu fiz.

Não existem textos ou fotos sobre ela. Eu era muito pequeno, incapaz de me aventurar por aí sozinho, não sabia escrever e, ainda que tivesse uma máquina fotográfica, seria incapaz de registrar aquele momento mágico. Mas foi mágico, e como tudo que nos causa encantamento, gravei carinhosamente em minha memória.

Eu havia acabado de tomar banho e jantar, estava na sala de casa brincando com o Snoopy, meu inseparável companheiro de pelúcia, quando ouvi um estranho barulho no quintal de casa. Era como um carro velho no inverno que afogado, busca em vão suas últimas forças, mas preguiçoso de frio, insiste em não dar a partida. Barulho seguido de silêncio. Uma clara luz azulada entrava em casa filtrada pela cortina branca fechada, criando uma atmosfera de medo e curiosidade, suspense.

Resolvi espiar e encontrei uma criança. Bem, não era exatamente uma criança como eu, mas sua tranquilidade me incentivou a aceitar o convite para entrar naquele curioso objeto que podia voar. Eu havia ganhado uma passagem para explorar o universo e o disco voador já estava de saída. Não tive tempo de pensar em muito coisa, mas me lembro de pegar o Snoopy e minha toalha, afinal de contas, um verdadeiro mochileiro da galáxia nunca sai de casa sem sua toalha.

Não entre em pânico!

Foi surreal. Primeiro viajamos pelo planeta Terra. Vimos os grandes animais, as pirâmides, as grandes florestas, geleiras, grandes cidades. Nosso planeta é lindo, mas é muito mais impressionante visto do espaço. Conheci outros planetas, vi a via láctea de perto e pude tocar as estrelas. Quando me dei conta, já estava de volta ao sofá da minha sala.

Continua após a publicidade

Minha mãe terminava a última página do livro e com ela mais uma história. Minha primeira viagem foi intensa e despertou minha vontade de conhecer o mundo. Essa foi a primeira de muitas, e muitos anos depois, pude fazer uma nova primeira viagem, uma primeira viagem com minha mãe, e dessa vez era eu quem apresentava os lugares e contava as histórias.

Guardo com muito carinho todas as lembranças da minha infância, em especial as lembranças de todas as histórias que você leu para mim, que desde cedo despertaram minha curiosidade para a vida e para o mundo.

Obrigado mãe por todas as histórias, por todo amor e por todas as viagens. Sem todas as aventuras que vivemos juntos, certamente eu não estaria onde cheguei. Sei que o coração aperta quando coloco aquela mochila nas costas, mas prometo, sempre vou voltar para contar novas histórias.

Feliz dia das mães, para você e para todas as mães.

 

Mais histórias e fotos no Instagram: @dms.macedo

Continua após a publicidade

Publicidade