Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Um voo espetacular entre Bali e Java, na Indonésia

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h41 - Publicado em 6 nov 2013, 10h18

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

IMG_7183
IMG_7184 IMG_7185 IMG_7186
IMG_7188 IMG_7189
IMG_7192 IMG_7193 IMG_7194
IMG_7199 IMG_7200 IMG_7201

Ao embarcar neste voo de Bali a Yogyakarta (na ilha de Java), peguei um jornal na entrada do avião. A foto estampada na primeira página mostrava diversos automóveis soterrados pela lava de um vulcão. Como estava tudo em bahasa (o idioma falado na Indonésia), boiei. Mas, na legenda, consegui reconhecer o nome de – opa! – Yogyakarta. Como poderia estar todo mundo tão calmo naquele avião? Com o jornal na mão, e usando todo o meu poder mímico, tentei descobrir se me encontrava se dirigia a um cenário calamitoso. Mas não obtive sucesso. Então apertei o botão “relaxa e goza” e grudei na janela: eu poderia até estar a caminho de uma grande roubada, mas seria o caminho mais lindo de toda a minha vida.

 

Continua após a publicidade

O trajeto entre Denpasar, em Bali, e Yogyakarta, em Java, passa rente a pelo menos sete dos grandes vulcões javaneses, incluindo o gigante Semeru, o maior da ilha, com 3676 metros de altitude. Ao amanhecer (tente voar nesse horário e nem cogite desperdiçar o visual num voo noturno), nos dias claros, o cenário é simplesmente de outro mundo. As imagens aéreas se bastam, certo?

 

Continua após a publicidade

Obs: Como vim a saber depois, o vulcão Merapi vive dando susto. Mas não é tão perto assim do centro de Yogyakarta. Naquela ocasião, a erupção nem se notava onde eu estava.

 

Continua após a publicidade

Siga @drisetti no Twitter

Continua após a publicidade
Publicidade