Um jantar no Niño Viejo, a taqueria mexicana do chef Albert Adrià

Logo que o Niño Viejo foi inaugurado, escrevi um post falando sobre o restaurante (clique aqui para saber mais) — a primeira empreitada mexicana do superchef Albert Adrià, em Barcelona. Mas só depois consegui voltar no restaurante para a melhor parte: comer. Segue o relato.

 

O primeiro impacto ao entrar no Niño Viejo foi ver a pequena multidão que forma o staff, tanto na cozinha (aberta ao público), quanto na sala. Em Barcelona, estamos acostumados a implorar pela presença do garçom. Aqui, ao contrário, cada um deles atende pouquíssimas mesas e presta realmente atenção aos mais sutis gestos do cliente. Dava pra notar em cada movimento do nosso garçom, um jovenzinho italiano, que ele estava empolgado e empenhado por fazer as coisas direito. Em suma, pode esperar serviço de restaurante, ainda que o lugar seja uma taqueria informalíssima e sem frescura nenhuma. Ah, e pode comer com a mão, se lambuzar, lamber os dedos e tudo o mais que você faria numa…. taqueria mexicana.

 

 

 

O pequeno exército na cozinha

O pequeno exército na cozinha…

... que se abre ao público. Eu sentei no balcão justamente na frente da jovem equipe (concentradíssima) que preparava os pratos frios

… que se abre ao público. Eu sentei no balcão justamente na frente da jovem equipe (concentradíssima) que preparava os pratos frios

 

Nós exageramos. Imagino que uma pessoa “normal” comeria a metade do que nós. Mas entre o amor pela comida mexicana e o hype de ter a mão de Albert Adrià por trás daquilo, o empolgômetro foi no teto:

 

 

Aperitivos para começar: duas margueritas diferentes, que vieram acompanhados de azeitonas e amendoins temperados e deliciosos por conta da casa

Aperitivos para começar: duas margueritas diferentes, que vieram acompanhados de azeitonas e amendoins temperados e deliciosos por conta da casa

Primeira etapa: pico de gallo com torresminhos (€ 8,50)

Primeira etapa: pico de gallo com torresminhos (€ 8,50)

Tacos e eus molhinhos. Pedimos N variedades. Eles custam entre € 3,50 e € 3,90 por unidade. O campeão, matador, foi o de "carnitas com cuerito e costilla". Ou seja, um mix de carne suína que ganha um toque crocante com pedacinhos de pele torrada.

Tacos e os respectivos molhinhos. Pedimos N variedades. Eles custam entre € 3,50 e € 3,90 por unidade. O campeão, matador, foi o de “carnitas com cuerito e costilla”. Ou seja, um mix de carne suína que ganha um toque crocante com pedacinhos de pele torrada.

Ficou devendo: o ceviche seria magnífico se não tivesse esse molho vermelho por cima, que acaba deixando tudo com o mesmo gosto. Ruim não é. Mas poderia ser bem melhor. Custa € 13,20.

Ficou devendo: o ceviche seria magnífico se não tivesse esse molho vermelho por cima, que acaba deixando tudo com o mesmo gosto. Ruim não é. Mas poderia ser bem melhor. Custa € 13,20.

É feio mas é muuuuuito bom: costela de porco da "abuela Flor". O negócio derrete na boca, uma coisa de louco. Comeria todos os dias da minha vida. Custa € 10,80.

É feio mas é muuuuuito bom: costela de porco da “abuela Flor”. O negócio derrete na boca, uma coisa de louco. Comeria todos os dias da minha vida. Custa € 10,80.

Mole com partes obscuras do porco. Também é uma delícia, comendo com moderação. € 10,50

Mole com partes obscuras do porco. Também é uma delícia, comendo com moderação. € 10,50

Não sou lá muito fã de coquetéis. Mas acabei provando uma marguerita de mescal para ser diferente, e outra com espuminha, mais gostosa. Os drinques, como sempre nessa vida, sobem a conta (custam uns € 10). Se eu tivesse ficado na cervejinha, dava pra continuar chamando o lugar de barato. Mas aí é que está: só tem a marca espanhola Estrella, da qual não sou muito fã. O que acontece é que a Estrella tem uma parceria comercial potente com os irmãos Ferran e Albert Adrià. Então não rola cerveja mexicana na casa, o que faria todo sentido. Michelada de cerveja vagabunda espanhola? Achei estranho. Se era pra citar um ponto fraco, ei-lo. Mas, no geral, aplausos em pé. Voltarei e recomendo.

 

Detalhes bonitinhos do lugar

Detalhes bonitinhos do lugar

 

Veja também: Hoja Santa, o restaurante de alta cozinha mexicana de Albert Adrià.

 

Siga @drisetti no Twitter e no Instagram

 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.