Sicília: roteiros de 20, 14 e 7 dias

A difícil arte de montar uma viagem pela maior ilha do Mediterrâneo

Mercado de Siracusa: amor à primeira vista

Mercado de Siracusa: amor à primeira vista (Adriana Setti/Arquivo pessoal)

A beleza superlativa de Taormina, com seu teatro grego aos pés do vulcão Etna

A beleza superlativa de Taormina, com seu teatro grego aos pés do vulcão Etna (Adriana Setti/Arquivo pessoal)

Montar um roteiro pela Sicília é um exercício tão intenso quanto um treino de kung-fu. Você vai ter que alongar os dias que pretendia passar na maior ilha do Mediterrâneo; suar para encaixar tudo o que quer ver e assimilar alguns golpes de realidade ao se dar conta de que está diante de um destino faixa preta, prestes a levar uma surra de história, gastronomia, natureza e calor humano. Acabo de chegar — feliz, apaixonada e um pouco balofa — de um viajão de 20 dias por esse pedaço tão especial do sul da Itália e eis aqui o que eu sugiro para a sua viagem:

Sicília em 20 dias

Parece muito, mas foi um tempo bem justinho para dar a volta olímpica na ilha no sentido horário, deixando para uma próxima destinos no interior, como Noto, Módica e Ragusa, bem como Catânia (acrescente essas paradas ao roteiro se tiver um mês e temperatura for inferior a 30oC).Começamos com 2 noites em Palermo, capital e maior cidade da ilha, onde visitamos mostras de arte, mercados, a magnífica Cappella Palatina e comemos como um Rei Momo.

De lá, seguimos para 2 noites Cefalú, onde deu para curtir o centro histórico com calma e pegar uma prainha. Na sequência, deixamos o carro em Milazzo e pegamos um ferry para passar 3 noites nas ilhas Eolias: 2 noites em Stromboli para ver o vulcão em erupção e curtir uma tórrida praia de areia vulcânica + 1 noite na badalada Panarea para caminhar e quase desmaiar com a beleza das paisagens.

A ilha de Panarea: resista se puder

A ilha de Panarea: resista se puder (Adriana Setti/Arquivo pessoal)

De volta a Milazzo, tocamos para 2 noites em Taormina, bela e turística em idênticas proporções. Descendo pela costa do Jônico, paramos por 2 noites em Siracusa, cujas ruínas gregas, mercados, prainhas e praças grandiosas roubaram o meu coração. O trecho seguinte foi o mais longo que percorremos de carro. Ainda assim, foram pouco mais de três horas no volante até chegar ao todo-poderoso Verdura Resort, hotel sobre o qual falarei com calma mais adiante. Ficamos 2 noites para visitar as ruínas gregas Agrigento e a praia Scala dei Turchi.

Já na reta final da viagem, nos permitimos diminuir um pouco o ritmo. Deixamos o carro em Trapani e pegamos um ferry para passar 4 noites na ilha de Favignana, onde gostaria de ter ficado para sempre. Mas, com o coração partido e ímpeto explorador, mantivemos o plano inicial e passamos as últimas 3 noites em San Vito Lo Capo, base ideal para explorar lugares como a Reserva Natural de Zingaro, Erice, Macari e Tonnara di Scopello. Absolutamente tudo valeu a pena.

Parece a Grécia, mas é a misteriosa Stromboli

Parece a Grécia, mas é a misteriosa Stromboli (Adriana Setti/Arquivo pessoal)

Um resumo do meu roteiro de 20 dias

Um resumo do meu roteiro de 20 dias (Google Maps/Arquivo pessoal)

Sicília em 14 dias

Como reduzir o roteiro acima para 14 dias? Oh, dúvida cruel. Para encaixar os mesmos destinos, tornando a viagem bastante mais corrida, cortaria 1 noite em Cefalú, 1 em Stromboli, 1 na região de Agrigento, 2 em Favignana e 1 em San Vito Lo Capo. Se você não for muito de praia, ou se viajar de outubro a abril, uma segunda solução pode ser cortar as ilhas, deixando a empreitada menos picadinha.

Veja também

Sicília em 7 dias

Daí você vai ter que fazer concessões, meu amigo. Focando nos best sellers, uma opção viável é pousar em Palermo (2 noites) e seguir para Cefalú (1 noite), Taormina (1 noite) e Siracusa (2 noites), indo embora de Catânia (1 noite), que também tem um aeroporto internacional. No alto verão, também pode ser uma boa trocar Catânia e Siracusa por 3 noites nas Ilhas Eólias. Ou então focar no lado oposto e, partindo de Palermo (2 noites), ficar 2 noites em San Vito Lo Capo, 2 em Favignana e 1 em Agrigento. E já se prepare para voltar.

Palermo: crua, autêntica e majestosa

Palermo: crua, autêntica e majestosa (Adriana Setti/Arquivo pessoal)

Reserve acomodação na Sicília no Booking.com

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s