Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Qbara, o restaurante mais espetacular de Dubai

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h31 - Publicado em 15 dez 2014, 14h37

Se você tiver que escolher apenas um restaurante para conhecer em Dubai, invista todas as suas fichas no Qbara. O restaurante fica ao lado da pirâmide breguérrima de Wafi City (que abriga o quase sempre clássico hotel Raffles, que pelo visto sucumbiu ao jeito Las Vegas de Dubai), mas é um dos lugares mais genuinamente cool da cidade. Escurão, com música alta, climão de balada, o restaurante poderia ser apenas mais um lugar pretensioso e carésimo. Mas não é. Mesmo que você não goste do tal “ver e ser visto”, a comida se garante e o preço é justo – se você não cometer a insânia de encher a cara de vinho.

 

Chamar a atenção sem derrapar no pântano do néon é uma tarefa árdua em Dubai. Então nada como um designer japonês para contornar a situação. O projeto de Noriyoshi Muramatsu, do studio Glitt, de Tóquio, é um espetáculo, com um colossal painel de retalhos de tapetes orientais forrando as paredes, luminárias elegantes e uma dose bem medida de luzes que dá um ar de casa noturna sem descambar para Las vegas.

 

Uma salinha mais privê, para grupos de amigos

Uma salinha mais privê, para grupos de amigos

Cozinha-vitrine

Cozinha-vitrine

O bar, lindão, com projeções sobre a parede de texturas árabes

O bar, lindão, com projeções sobre a parede de texturas árabes

Fusão de Nova York com oriente no visual

Fusão de Nova York com oriente no visual

A cozinha é assinada pelo chef executivo Colin Clague (veterano de casas bem sucedidas de Londres e Dubai). O que vale a pena é pedir vários pratos e pratinhos para dividir. Há um menu degustação também, para apetites vorazes, em 16 etapas.

Continua após a publicidade

 

Pinçando da carta, não deixe de provar o rolinho de siri mole fritinho. Também é uma viagem o kibe recehado de lagosta e o steak tartar ao estilo turco. Mas o delírio verdadeiro é a vieira enroladinha com basturma (uma espécie de carne curada cortada bem fininha). Como prato principal, provei o arroz com bacalhau negro, com pegada marroquina e fartos nacos do peixe. Na sobremesa, que rufem os tambores: o algodão doce com panna cotta é o campeão do Instagram.

 

Panna cotta com espetáculo de algodão doce: o campeão do Instagram

Panna cotta com espetáculo de algodão doce: o campeão do Instagram

Steak tartar com torradinhas finíssimas

Steak tartar com torradinhas finíssimas

Espere gastar uns US$ 80 por pessoa sem o vinho – que começa a dolorosos US$ 50 por garrafa.

 

Siga @drisetti no Twitter e no Instagram

 

Continua após a publicidade

Publicidade