Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

De carro pela Toscana: dez dicas para montar o roteiro perfeito

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h43 - Publicado em 24 abr 2013, 16h03

Ciprestes, casinha de pedras e campos verdejantes: uma paisagem tipicamente toscana

1. Conforme-se: a Toscana inteira não vai caber em uma viagem só

Duas das cidades mais bonitas do mundo estão lá: Florença e Siena, com uma batelada de museus e igrejas que valem a viagem. E você ainda terá pela frente centenas de vilarejos charmosos, estradas que cortam vinhedos, campos de girassóis, restaurantes matadores, vinhos a degustar. O primeiro passo, portanto, é aceitar a sua impotência diante da grandeza dos 23 quilômetros quadrados mais incríveis da Itália.

 

Continua após a publicidade

A moldura perfeita no meio da estrada

2. Estabeleça prioridades e reserve tempo suficiente para curti-las

Toscana combina com slow travel, a arte de viajar devagar. Mais vale escolher poucos lugares e curti-los a fundo, com longas pausas para comer e beber (dois pilares de uma viagem à Toscana) e momentos de contemplação.

 

Continua após a publicidade

3. Use Florença como ponto de partida (ainda sem carro)

O mais estratégico é usar Florença como porta de entrada (vindo de Roma ou Milão de trem, por exemplo) e passar os primeiros dias na cidade a pé. Só depois alugue um carro e explore a Toscana profunda. Isso porque ficar motorizado na cidade é roubada. É difícil de estacionar, o trânsito é complicadinho e tudo o que interessa pode ser feito a pé (grande parte das ruas do centro são fechadas para o trânsito).

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

San Gimignano desponta no horizonte

4. Hospede-se em cidades pequenas ou no campo

A alma da Toscana está em seus vilarejos, seus vinhedos e suas paisagens. Curtir isso de perto vale a pena.

 

Continua após a publicidade

Alcachofras maravilhosas: comer é um dos pilares da viagem

5. Evite a overdose de estrada e check-in

O segredo do sucesso da sua viagem está em dosar o tempo diário de estrada e a quantidade de vezes que você muda de hotel. Exagerar em ambas as coisas pode fazer com que a viagem seja cansativa.

 

Continua após a publicidade

Repita comigo: o caminho é o destino

6. Escolha bases estratégicas

Para não sucumbir ao item acima, o segredo é escolher no máximo três bases estratégicas por cada dez dias de viagem. Uma sugestão seria Lucca para conhecer o norte, San Gimignano para conhecer o centro e Cortona para conhecer o sul.

 

Continua após a publicidade

7. Fuja das autopistas

A beleza da Toscana se descortina em suas estradinhas secundárias. Viajando por autopista você chega mais rápido, mas perde grande parte da beleza do lugar. Lembre-se: o caminho é o destino.

 

Continua após a publicidade

8. Use um GPS

Para não se perder no novelo de estradinhas secundárias citado acima, só o GPS salva.

 

Continua após a publicidade

9. Escolha bem a época

Primavera (abril a junho) e outono (setembro a novembro) são as melhores épocas para visitar a Toscana. O inverno é muito frio (pode nevar bastante em algumas partes da Toscana) e o verão é quente e movimentado demais.

 

Continua após a publicidade

10. Viaje durante o dia

De novo: o caminho é o destino. Portanto, não faz sentido fazer os deslocamentos no escuro, certo?

 

Continua após a publicidade

Siga @drisetti no Twitter

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade