Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Cinco coisas a serem lembradas na hora de comprar uma passagem aérea

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h49 - Publicado em 25 nov 2011, 18h00

Viajo muito. Escrevo sobre viagem. Só prenso em viajar. Ensino (ou tento) as pessoas a viajarem melhor. E, ainda assim, confesso que ainda dou muita cabeçada, principalmente na hora de comprar passagens aéreas intercontinentais. Meu último voo desastroso foi Barcelona-San José de Costa Rica, com duas conexões curtíssimas e estressantes, entre voos operados por três companhias diferentes e precárias (tudo isso para economizar uma miséria). Depois disso, parei para pensar sério e elaborei um check list mental das besteiras que não posso mais fazer, para o meu próprio bem. Lição número um: na hora de comprar um voo, lembre-se que VOCÊ MESMO é quem vai viajar com aquela passagem, e não o seu pior inimigo.

Pense no horário e na data também da CHEGADA

Calcular uma hora estratégica para chegar é tão ou mais importante do que a hora do embarque. Em algumas cidades, chegar no hotel com o transporte público de madrugada é impossível (no caso de Barcelona, por exemplo) ou muito difícil (no caso de Londres). No fim das contas, o barato sai caro, porque você fica refém dos táxis. Outros fatores, como o trânsito, também contam – pode haver algo pior do que chegar no aeroporto de Cumbica na hora do rush de sexta-feira?

Elimine as conexões curtas da sua vida

O stress de um voo com conexão curta (isto é, menos de duas horas para voos internacionais) começa antes do avião decolar. Cada segundo de atraso é um sofrimento duplo, pelo atraso em si e pelo segundo voo que você periga perder. Fora isso, é quase garantia de que a sua mala não chegue junto com você. Mais vale mofar um pouco num aeroporto qualquer (passei seis horas deliciosas no aeroporto de Zurique na semana passada, com internet barata, sofás de couro e comida boa) do que passar por isso, não?

Prefira as companhias aéreas cujos aviões são equipados com televisões individuais

Ter vários filmes, joguinhos e programas de TV à sua disposição durante um voo longo para mim é questão de vida ou morte. As companhias aéreas que não possuem aquele aparelhinho interativo (a Lufthansa, por exemplo, inexplicavelmente não tem) estão banidas da minha vida.

Continua após a publicidade

Faça check in on line assim que puder

Hoje em dia, quem deixa para fazer o check in no aeroporto está fatalmente destinado aos piores assentos (aqueles espremidos entre vários passageiros). Fique atento à hora de abertura do check in (que varia muito de acordo com a companhia) e já chegue com o seu lugar garantido ao aeroporto. Se a companhia permitir reservar lugar no ato da compra, melhor ainda.

Evite as primeiras filas, onde ficam os bebês

Se você conseguir lugar na primeira fila da econômica para esticar a sua pernoca, até pode compensar. Mas se não rolar, o melhor a fazer é ir com a turma do fundão, a muitos e muitos metros da primeira fila, onde são posicionados os bebês e a sinfonia noturna está praticamente garantida.

Manual do Viajante: passagens baratas

Siga @drisetti no Twitter

Continua após a publicidade
Publicidade