Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Cidadezinhas espetaculares da Europa: Puigcerdà, na Espanha

Perto das fronteiras da França e Andorra, a cidadezinha tem ao redor um verdadeiro menu degustação de estações de esqui

Por Adriana Setti Atualizado em 17 mar 2021, 18h58 - Publicado em 29 mar 2018, 07h03

O inverno foi cruel com a Europa este ano. Sobrou até para nós, habitantes do Mediterrâneo, acostumados a esfregar nosso céu azul e temperaturas amenas na cara de escandinavos e saxões. Nevou em Barcelona e até nas Ilhas Baleares onde, no ano passado, cheguei a dar meus mergulhinhos no mar em dezembro e em março. Na base do “se não pode vencê-lo, junte-se a ele”, fiz uma rápida incursão a uma das partes mais gélidas da Catalunha para ver neve. E encontrar Puigcerdà pelo caminho foi uma grande surpresa.

 

A 180 quilômetros de Barcelona, nos pés dos Pirineus (cordilheira que divide a Espanha da França), a cidadezinha viveu seus momentos de glória no século 19. Naqueles tempos, era para lá que a burguesia catalã corria quando o calor apertava na capital. Grande parte dos casarões senhoriais dessa belle époque não sobreviveu à Guerra Civil. Mas o lugar ainda exala um charme afrancesado, principalmente ao redor do lindo Estany de Puigcerdà, um laguinho cercado por um belo parque, com vista das montanhas ao redor.

O laguinho é definitivamente a parte mais fotogênica da cidade Adriana Setti/Arquivo pessoal
E justo depois dessa foto minha bateria morreu, para meu total desespero Adriana Setti/Arquivo pessoal
O centro da cidade também é bonitinho. E como pano de fundo sempre aparecem uns visuais incríveis Adriana Setti/Arquivo pessoal
Pracinha singela no centro de Puigcerdà Adriana Setti/Arquivo pessoal
Sol e temperaturas gélidas quase na fronteira da Espanha com a França Adriana Setti/Arquivo pessoal
Vista de um dos mirantes da cidade Adriana Setti/Arquivo pessoal

Ser tropical do joelho capenga, era das poucas pessoas sem roupa de esqui circulando pelas ruas de Puigcerdà em um fim de semana recente. Para os fãs do esporte, há um verdadeiro menu degustação de estações nos arredores. São mais de 15 em um raio de menos de 50 quilômetros, repartidos em três países: Espanha, França (a apenas 2km de distância) e Andorra. A mais próxima é Masella, seguida de La Molina, ambas em território catalão. Em solo francês, as mais próximas são Fort-Romeu e Le Cambre d’Aze. Ou seja, um destinaço de inverno para quem quer escapar dos resorts mais batidos (e caros) da Europa.

Continua após a publicidade

Vale a pena ir de carro para descobrir os micro vilarejos charmosos ao redor da cidade. Este, onde os caipiras tropicais puderam verdadeiramente chafurdar na neve, se chama Bellver.

Como chegar:

O ideal é ir de carro, para poder circular pelas estações de esqui e as cidadezinhas bonitas ao redor. Mas há ônibus partindo de Barcelona em um esquema meio pinga-pinga (a viagem demora 3h). Em geral, quem vai esquiar no esquema bate-e-volta já compra um pacote com direito a transporte direto para as estações de esqui.

Onde comer:

Dois lugares simpáticos para comer são o El Graner e o El Caliu. Mas nada bate o visual do Origen, que tem um menu de almoço a €30 — reserve com três vidas de antecedência nos finais de semana de inverno.

O restaurante Origen visto de fora Divulgação/Reprodução
E a vista de dentro… Divulgação/Reprodução

Onde ficar:

Da próxima vez, quero ficar no Hotel del Lago.

Procure acomodação em Puicerdà no Booking.

Continua após a publicidade

Publicidade