Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

As lendárias praias do sul de Bali: qual é a sua? (parte 2)

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 16h05 - Publicado em 21 abr 2009, 17h04

Impossibles
Escondidinha entre Dreamland e a pop star Padang Padang, essa lenda do surfe é, como o nome sugere, uma praia para surfistas com H maiúsculo e/ou levemente kamikazes. Quando a maré está muito alta, ela fica impossible também para a tchurma da canga. Mas na maré baixa a pequena faixa de areia entre pedras e cavernas é um dos lugares mais mágicos da ilha.
COMO CHEGAR: Graças a uma boa alma que pixou um muro no caminho de Padang (veja abaixo) com uma flecha e o nome da praia, não é mais impossible chegar lá. Ao ver o sinal no muro, estacione o carro e pegue a trilha.

Padang Padang
Em sinal de reverência, os surfistas deveriam descer as escadarias que dão acesso à praia de joelhos. Este santuário do surfe tem um dos breaks mais famosos e disputados da ilha. Para pegar uma praia, a faixa de areia é pequena mas aconchegante. Só que praticamente desaparece quando a maré está muito alta. Mesmo assim, a galera dá um jeito e se acomoda nas cabanas de palha para assistir ao show que rola no mar. O templo que vigia a praia de cima é uma atração à parte, lotado de macacos exibicionistas e cleptomaníacos.
COMO CHEGAR: É preciso quebrar à direita em um dado momento do caminho de Ulu Watu que não está sinalizado. O jeito é ficar esperto depois de passar a saída para Balangan (sinalizada com uma micro placa), e perguntar antes de tomar qualquer decisão.

Ulu Watu
Essa merece um post à parte… me aguardem.

Green Ball (foto)
Na minha viagem a Bali do ano passado, eu postei dizendo que Green Ball era a praia mais bonita de Bali. Agora, conhecendo a ilha de cabo a rabo, continuo assinando embaixo. E aqui vai um repeteco do que disse naquele post:

A jóia mais rara da ilha é um trecho de areia totalmente virgem que não está nos mapas turísticos (não estava em nenhum dos 3 mapas de Bali que comprei por lá) e do qual pouquíssima gente já ouviu falar: Green Ball.

Uma escadinha de pedra de mais de 300 degraus atravessa a floresta descendo pela altíssima falésia até chegar na areia branca e fofinha. Guarda-sol não é preciso. Cavernas desenhadas nas pedras se encarregam de fazer uma sombrinha. Uma delas, no entanto, já está ocupada por milhares de morcegos, uma atração à parte. A água é de um verde esmeralda cristalino, e os corais formam piscinas naturais na maré baixa. Atrás deles, ondas tenebrosamente grandes divertem os surfistas mais valentes. Sair do mar com a prancha partida em duas é de praxe. Além de surfistas e morcegos, uma cambada de macacos perambula pela praia.

Continua após a publicidade

COMO CHEGAR: É quase um exercício de adivinhação, já que não existe o mais remoto sinal de sinalização. No caminho de Ulu Watu, um pouco antes da saída de Balangan, é preciso entrar numa bifurcação à direita em direção ao vilarejo de Kuluh. Depois, a estrada ainda vai ter N bifurcações. Tente se manter na pista principal. O caminho termina num estacionamento de onde sai a escada infinita.

NÃO VÁ:

Seminyak
Não confunda: a vila de Seminyak é disparado o lugar mais charmoso de Bali, mas é melhor fingir que não existe praia por ali. Você já esteve em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo? Pegue aquela areia preta e batida, acrescente uma montanha de lixo e voilá, você está no inferno.

Kuta
A areia não chega a ser tão escura e batida como a de Seminyak. Mas a quantidade de sacos plásticos por metro cúbico de mar é ainda maior. E como cereja do bolo, tente ficar em paz um minuto e ganhe um prêmio. Os vendedores, massagistas, manicures (!) e chatos ambulantes talvez sejam os mais insistentes do mundo.

Dreamland
O nome desta praia está desatualizado. O correto, hoje em dia, seria “Nightmareland”. Até poucos anos atrás, Dreamland era bem uma versão ampliada de Balangan (veja no post anterior). Mas um capitalista inescrupuloso e sem refinamento estético (dizem que quem está por trás é o filho do ex ditador indonésio Suharto) comprou os milhares de metros quadrados que cercam a praia, botou toda a vegetação abaixo (e os doces warungs de palha e bambu) e, no lugar, está erguendo um tenebroso condomínio. Enquanto o empreendimento Frankenstein não fica pronto, o terreno poeirento (ou lamacento, nos dias de chuva) aproveita para receber ônibus de excursão de farofeiros de Jacarta. Uma diliça.

VEJA MAIS POSTS SOBRE BALI

As lendárias praias do sul de Bali: qual é a sua? (parte 1) – 17/04/2009
Bali alternativa: Pemuteran e Nusa Menjangan – 15/04/2009
O melhor de Bali: ode ao peixe fresco de Jimbaran – 14/04/2009
O melhor de Bali: os golfinhos de Lovina – 13/04/2009
Dirigir em Bali – 03/04/2009
O básico de Bali em 7 dias perfeitos – 01/04/2009
5 regras de ouro para se dar bem em Bali – 30/03/2009
Pousadas ridiculamente boas, bonitas e baratas em Bali – 11/04/2008
Teste: qual o melhor lugar de Bali para você? – 10/04/2008
Não morra sem mergulhar em Tulamben, Bali – 07/04/2008
Bali: a felicidade por 55 reais ao dia – 31/03/2008

Continua após a publicidade
Publicidade