A Catalunha é incrível, parte 4: Um roteiro completo pela Costa Brava

A Costa Brava é o filé mignon do litoral catalão. E eu arriscaria dizer que é um dos trechos mais bonitos do litoral mediterrâneo continental espanhol. Formada por encostas de pedras ásperas e pontiagudas, a costa tem contornos irregulares, que funcionam como guardiões de cidadezinhas charmosas e calas (prainhas) banhadas por águas cristalinas.

Andei falando sobre alguns lugares da Costa Brava nos posts anteriores: Pals, Peratallada e Tossa del Mar. E eis aqui como alinhavar tudo isso num roteiro delicioso.

Vindo de Barcelona, entre na autopista A-7 e pegue a saída para Tossa de Mar, onde estão os magníficos vestígios de um castelo, muralhas medievais e casas de pescadores do século 14. Ao sair da cidade pegue a embrulha-estômago (é o preço da linda vista) GI-682 e siga até Sant Feliu de Guixols, onde começa a estrada C-31, um trecho ainda mais sinuoso da viagem com um festival de belas praias. Passe pelo menos a metade de um dia na linda Calella de Palafrugell, uma enseada de areia fofa cercada por um calçadão.

Ao lado, está a não menos atraente Llafranc. Seguindo em frente, em Begur, mergulhe em Aiguablava, Fornells, Sa Tuna e Aiguafreda, que estão entre as mais belas da região.

A essa altura, a estrada se afasta do litoral por um bom motivo. Você se surpreenderá com os centros históricos medievais de Pals e Peratallada. Aproveite o embalo e faça um desvio de 15 quilômetros até Púbol, onde fica o Castelo Gala-Dali, presente do pintor Salvador Dalí à sua mulher, Gala.

E depois retroceda e mande ver na mesma C-31 até o fim. Siga as indicações para Roses e curta a grande enseada que inspira o cozinheiro Ferran Adrià e suas ruínas gregas. De lá, encontre a GI-614 que leva a Cadaqués (na foto), a cereja do bolo do roteiro, com suas casinhas brancas e águas calmas. Hospede-se. E passe pelo menos um dia inteiro entre a Casa-Museu Salvador Dalí, em Port Lligat, e o Parque Nacional de Cap de Creus, um lugar onde o tempo parou para contemplar a imensidão azul do Mediterrâneo.

Na volta a Barcelona, vá pelo interior e pare em Figueres, onde nasceu Dalí, e visite o incrível Teatre-Museu Dalí, construído pelo pintor para servir de vitrine de sua obra.

Você pode dedicar uma semana inteira a degustar todos os cantinhos da Costa Brava, ou bem mais que isso – eis aqui um lugar que clama por slow travel. Mas com pressa dá pra fazer tudo em uns 4 dias.

Veja mais sobre a incrível Catalunha:

A Catalunha é incrível, parte 3: Tossa de Mar

A Catalunha é incrível, parte 2: Besalú

A Catalunha é incrível, parte 1: Pals e Peratallada

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s