10 motivos para conhecer Vilnius, a capital da Lituânia

Você há de pensar que sou suspeita para falar. Afinal de contas, 50% do sangue que levo nas veias vem deste diminuto país chamado Lituânia (ou Lietuva, em lituano). Hein? Se o mapa do Leste Europeu lhe parece algo nebuloso, eu ajudo. À beira do Mar Báltico, entre a Letônia, a Polônia e a Bielorrússia, essa terra verde onde vivem meros 3 milhões de habitantes foi parte da União Soviética até 1991 e é um dos membros da União Europeia (ainda sem euro) desde 2004. A capital, linda de morrer, é Vilnius. E eis dez motivos pelos quais você deve pensar seriamente em incluí-la nos seus planos:

 

O centro histórico, impecável

O centro histórico, impecável

Mais um ângulo do centro histórico

Mais um ângulo do centro histórico

Fachada podrona entre muitas impecáveis (esta é a do prédio onde aluguei um apê incrível)

Fachada podrona entre muitas impecáveis (esta é a do prédio onde aluguei um apê incrível)

1. Tem  maior Centro histórico em estilo barroco da Europa, devidamente tombado como Patrimônio Universal pela ONU. Tudo é harmônico, impecável, colorido, equilibrado, delicado.

 

2. Ainda que você já tenha estado em contato com o barroco, e que a cidade tenha algo em comum com outras capitais do Leste Europeu, notará como o conjunto da obra é muito único.

 

3. Vilnius tem uma quantidade surrealista de igrejas, tanto ortodoxas como católicas. Algumas são lindas em seu interior, outras são bizarras – como a do Holy Spirit, que guarda o corpo de dois santos embalsamados dentro de uma urna de vidro.

A igreja de St Anne, minha favorita entre centenas

A igreja de St Anne, minha favorita entre centenas

 

Catedral de Vilnius e o azul azulíssimo do verão no Báltico

Catedral de Vilnius e o azul azulíssimo do verão no Báltico

Escultura maravilhosa na fachada do Teatro Nacional (uma das coisas que mais gosto na cidade)

Escultura maravilhosa na fachada do Teatro Nacional (uma das coisas que mais gosto na cidade)

Brechó de quinquilharias soviéticas

Brechó de quinquilharias soviéticas

4. Um lindo portal do século 16 está impecavelmente preservado em uma das entradas da cidade murada.

 

5. No meio de tanta coisa restaurada e bonitinha, há também edifícios decadentes, becos grafitados, prédios estranhos da era comunista aqui e acolá. Pura decandence avec elegance.

 

6. A cidade é absolutamente verde e cortada por rios e riachos limpíssimos. No verão, dá para andar de caiaque, pescar e até nadar em plena capital.

 

Meu bar favorito em Vilnius (Uzupis Kaviné), em cima do riacho

Meu bar favorito em Vilnius (Uzupis Kaviné), em cima do riacho

Riacho cristalino em pleno centro da cidade (dá até pra nadar!)

Riacho cristalino em pleno centro da cidade (dá até pra nadar!)

Parede preenchida com mini obras de arte no centro da cidade

Parede preenchida com mini obras de arte no centro da cidade

O centro de Vilnius visto de cima: cidade-bosque

O centro de Vilnius visto de cima: cidade-bosque

7. Vilnius tem um bairro ultra alternativo, artístico, charmoso e lindo que se autoproclama uma república independente. Seu nome é Uzupis e falarei dele em detalhe no próximo post.

 

8. Tudo o que interessa em Vilnius pode ser feito a pé. Inclusive a “viagem” até Uzupis através de uma ponte lotada de cadeados deixados por casais apaixonados. Praticamente todos os jovens falam inglês. Janta-se nos melhores restaurantes com € 15. É tudo muito fácil, suave, barato.

 

9. A Lituânia é um país cervejeiro por excelência. E Vilnius tem, proporcionalmente, a maior quantidade de bares charmosos que servem cerveja artesanal (barata) per capta que eu já vi na vida. Fiquei, para ser bem clara, como pinto no lixo.

Sopa fria de beterraba, um hit da gastronomia local (divina, se é que você gosta muuuuito de dill)

Sopa fria de beterraba, um hit da gastronomia local (divina, se é que você gosta muuuuito de dill)

Salada de arenque, uma das delícias da cozinha lituana (se é que você gosta muuuito de dill)

Salada de arenque, uma das delícias da cozinha lituana (se é que você gosta muuuito de dill)

O paraíso da cerveja artesanal

O paraíso da cerveja artesanal

 

10. No verão, escurece depois das 23h e amanhece lá pelas 3 da manhã! Nos poucos meses de calor, os lituanos enlouquecem, festejam, vivem na rua. Vilnius se transformar numa grande festa – lotada de loiras e loiros enormes e belos.

Dez da "noite" em Vilnius no verão

Dez da “noite” em Vilnius no verão

Uma deusa lituana em cada esquina (às vezes mais de uma)

Uma deusa lituana em cada esquina (às vezes mais de uma)

Vilnius style

Vilnius style

Siga @drisetti no Twitter e no Instagram

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s