Museu Van Gogh

As cores vibrantes de girassóis, trigais e paisagens fantásticas pintadas por Vincent van Gogh estão no acervo desse museu instalado em duas edificações modernas. Enquanto o prédio da administração do Museu van Gogh foi projetado por Gerrit Rietveld, a ala de exposição, mais recente, foi desenhado por Kisho Kurokawa.

Com pinturas que vão das fases iniciais, simbolizadas por Os Comedores de Batata, às produções do final de sua vida, quando o pintor estava no auge de sua técnica e depressão, o museu refaz o tortuoso percurso do artista. Atormentado, brilhante, quase um alucinado, o mestre holandês que não viu fortuna, nem muita felicidade, em vida, tornou-se uma das faces mais conhecidas do rico cenário artístico do país e um símbolo pop, policromático e inspirador da Holanda.

O museu ainda tem em sua coleção permanente pinturas de Paul Gauguin, o amigo de van Gogh que foi viver na Polinésia Francesa.

DESTAQUES DA COLEÇÃO

– Os Comedores de Batata, 1885;

– O Semeador, 1888;

– Autorretrato com chapéu de feltro, 1888;

– Autorretrato de Paul Gauguin, 1888;

– O Quarto, 1888. Há uma cópia semelhante, mas não idêntica, no Museu d’Orsay de Paris;

– Girassóis, 1889;

– Campo de trigo com corvos, 1890;

– Íris, 1890;

– Amendoeira em flor, 1890.

Publicidade