Hopi Hari: tudo sobre o parque de diversões de São Paulo

Autodenominado o “País Mais Divertido do Mundo”, o Hopi Hari é o maior parque temático do estado de São Paulo, localizado em Vinhedo. Inaugurado em 1999, o parque já passou por diversas reestruturações. Hoje, as mais de 40 atrações estão distribuídas por cinco regiões temáticas que fazem parte do tal país fantasia chamado Hopi Hari, que tem capital, governante, bandeira, hino, passaporte, consulado e até uma língua própria, o hopês. 

Logo após as catracas, a primeira região é chamada de Kaminda Mundi e homenageia diferentes países ao redor do mundo. A Giranda Mundi, uma roda gigante, é o centro dessa área e proporciona uma vista para todo o parque. Os prédios que a cercam fazem referência às arquiteturas francesa, italiana, portuguesa, holandesa e alemã. Entre eles está o Theatro di Kaminda, onde é possível assistir espetáculos musicais dependendo da programação da temporada.

Ao lado de Kaminda Mundi, fica a região de Infantasia. Com um ar de ‘mundo da imaginação’, os brinquedos ali são dedicados às crianças e aos adultos que curtem atrações mais lúdicas. Carrossel e gira-gira fazem companhia para alguns brinquedos “radicais” como o Dispenkito, uma mini torre para os pequenos, e a Astronavi, em que pequenas naves giram e se levantam do chão. Os shows infantis são apresentados no Theatro Klapi Klapi. Para os pais, vale ficar atento às alturas mínimas e máximas: o parque não tem muitos brinquedos para crianças menores que um metro e, em alguns casos, mesmo as que são mais altas precisam de acompanhante.

A próxima região é Wild West, um cenário que remete ao Velho Oeste dos Estados Unidos, mantendo a estética dos filmes de bang bang. Algumas das estrelas do parque estão nessa área, como o Rio Bravo, em que famílias inteiras encaram 600 metros de corredeira, e o Spleshi, uma montanha russa de passeio molhado. La Mina del Joe Sacramento e Ghosti Hotel são duas atrações de terror que ficam por ali, sendo a primeira um corredor com efeitos especiais e a outra um trem fantasma. Outro destaque da região é o Saloon, um restaurante de lanches artesanais, grelhados e saladas onde acontecem shows em alguns horários do dia.

De Wild West é possível pegar uma tirolesa sobre um lago que termina na região de Aribabiba. Esta é a capital do país, onde estão várias atrações radicais como o Katapul, uma montanha-russa de lançamento que atinge até 86 km/h em apenas 3 segundos e faz um loop que vai de frente e volta de costas. O Hadikali também é uma atração muito disputada nesta região: numa espécie de bungee-jump, até três pessoas podem saltar de uma vez e fazer um voo rasante sobre o lago. Esse salto é pago à parte e os preços variam de acordo com a lotação do parque no dia da visita. Além disso, a atração funciona com horário marcado, por isso, se você quiser muito ir no Hadikali, vá direto até o brinquedo logo que o parque abrir para marcar sua vez. Para uma diversão mais tranquila, o Cinemotion tem as sessões de cinema imersivas que mais agradam o público.

Por fim, Mistieri é a maior região do país e traz a temática de sítio arqueológico. São pirâmides, tumbas e catacumbas que ficam ao lado da Montezum, a maior montanha-russa de madeira da América Latina e um dos brinquedos mais disputados do Hopi Hari. Outros dois destaques de Mistieri são o Katakumb, uma réplica do templo egípcio de Ramsés II onde os visitantes levam vários sustos, e o Simulákron, um simulador dentro de um templo Maia.

E o acidente?

Em 2012, um acidente na atração Le Voyage causou a morte da adolescente de 14 anos Gabriella Nichimura. Na época do ocorrido, o parque assinou um um acordo para garantir a segurança dos visitantes com o Ministério Público do Trabalho e fechou o brinquedo sem data de reabertura. Desde então, o Hopi Hari passou várias temporadas fechado para reestruturações e viveu constantes reaberturas sob diferentes administrações.

No momento, o parque prioriza a segurança dos visitantes fazendo constantes manutenções nos brinquedos. Antes de serem liberados para o público, as atrações passam por um período de teste e, às vezes, até demoram para abrir. Alguns visitantes relatam que, no dia que estiveram no parque, brinquedos radicais como a Montezum e a Katapul só foram liberados após o meio-dia.

A Le Voyage, elevador de 23 andares que faz referência à Torre Eiffel, continua no parque mesmo após dez anos fechada. Ela está passando por reformas para que possa voltar a funcionar.

Gastronomia

O Hopi Hari possui 21 pontos de alimentação distribuídos por suas cinco regiões. Em geral, o cardápio é composto por sanduíches, hot dogs, pizzas, pastéis e outros lanches. O combo de hambúrguer, batata frita e refrigerante custa entre R$ 30 e R$ 40. Para comer pratos mais sofisticados, como carnes ou massas, há apenas dois restaurantes: o Euro Restaurandi, em Kaminda Mundi, e o Saloon, em Wild West. Nesses locais, alguns pratos podem ultrapassar os R$ 100, mas costumam servir mais de uma pessoa. Para sanduíches e salgados veganos, os visitantes devem ir ao Hopi Vegani, em Wild West.

A maioria dos pontos de alimentação também vendem bebidas. Após a pandemia, o parque deixou de disponibilizar bebedouros e uma garrafinha de água custa R$4,90. Confira a lista completa de restaurantes aqui.

Ingressos e fura-filas

Os dias e horários de funcionamento variam de acordo com a época do ano e com o calendário de eventos, é importante consultar o site para confirmá-los. Dependendo da temporada e do dia da semana, os ingressos para o Hopi Hari, chamados de Passaporti, podem variar entre R$ 109 e R$ 129 se comprados com antecedência pelo site. Também é possível fazer a compra diretamente na bilheteria, no entanto, os preços são mais altos – e esse valor adicional ainda pode variar dependendo da lotação do parque.

Estudantes têm desconto de 50% no valor do Passaporti apresentando uma declaração escolar ou a carteirinha válida ao fazer compras na bilheteria. Visitantes acima dos 65 anos e crianças com menos de 1 metro de altura entram de graça no Hopi Hari. Maiores de um metro com até 12 anos podem comprar entradas com valor promocional nas bilheterias.

Durante os finais de semana e dias de evento não é incomum o Hopi Hari ficar lotado. Nessas ocasiões, as filas tomam muito tempo dos visitantes e acabam se tornando um incômodo – ainda mais se o dia estiver ensolarado em Vinhedo. Para evitar esse transtorno, o parque vende um número limitado de crachás VIP Pass na loja localizada na Kasa di Plaka, em Kaminda Mundi, ao lado da roda gigante. Os valores do serviço de fura-filas podem variar de R$ 99 a R$ 120 dependendo do número de visitantes no parque. 

Como o valor para o VIP Pass costumar sair salgadinho, a dica é não comprar o fura-filas logo que entrar no parque. Preste atenção em como está a lotação no dia da sua visita e veja como as filas estão andando. É comum que os brinquedos das regiões mais próximas da entrada fiquem lotados de manhã, então comece sua visita por áreas mais distantes, como Wild West, e faça um roteiro anti-horário entre os brinquedos.

A moeda do Hopi Hari

Dentro do Hopi Hari, todas as lojas e pontos de alimentação aceitam pagamentos com cartão de débito ou crédito. Porém, para usar dinheiro físico é preciso realizar a troca das notas pela moeda que circula no parque, a Hopi Plaka. A troca deve ser feita em uma das casas de câmbio distribuídas pelo parque que estão identificadas como Troka Plakas, onde você receberá um cartão magnético que pode ser carregado com o valor desejado. Se o saldo não for totalmente utilizado, você poderá solicitar o reembolso no final do dia. No Hopi Hari não são aceitos vales refeição nem alimentação.

COMO CHEGAR

O Hopi Hari está localizado no km 72 da Rodovia dos Bandeirantes, em Vinhedo. Partindo de São Paulo, o trajeto de carro leva aproximadamente uma hora e meia e contém pedágios. Ao chegar no parque, o estacionamento para carros é R$ 50 e para motos R$ 25. Também é possível pegar um ônibus que faz o transporte direto entre a capital e o parque. A linha é operada pelo Consulado do Turismo e é preciso fazer reservas antecipadas pelo site. Mais informações pelo WhatsApp: (11) 98546-9700.

O aeroporto mais próximo do parque é o de Viracopos, em Campinas. Do terminal rodoviário no centro da cidade é possível pegar algumas linhas de ônibus que param nos pontos próximos ao Hopi Hari. Outra opção é pegar o circular que vai até Vinhedo e de lá pegar uma linha direta até o parque.

Busque hospedagem em Vinhedo

Publicidade