48 Horas em Washington DC

De bicicleta na capital dos Estados Unidos, entre monumentos históricos e ótimos museus

É comum cidades darem nomes de figuras importantes da história a monumentos, casas e ruas. Em Washington D.C., quase tudo tem nome de ex-presidente, guerras ou algum outro tema que faz referência a períodos da história dos Estados Unidos. Ruas e avenidas centrais tem nomes de estados; monumentos relembram a Segunda Guerra Mundial e os conflitos do Vietnã e da Coreia; o National Mall, a região mais visitada da cidade, que recebe mais de 25 milhões de turistas todos os anos, é delimitada pelas avenidas Constituição e Independência, e tem nas extremidades o Lincoln Memorial (com uma big estátua do ex-presidente no topo das escadarias) e o Capitólio, a casa do congresso norte-americano.

Uma das formas mais bacanas de conhecer Washington D.C. é de bicicleta. A cidade tem muitas áreas planas, mais de 80 quilômetros de ciclovia e cerca de 160 estações de empréstimo de magrelas (www.capitalbikeshare.com). Pegue uma em um local e devolva em outro por US$ 7 ao dia (taxas adicionais são cobradas se a devolução ou a troca de bicicleta passar de meia hora). As bikes são parte tão ativa do dia a dia da cidade que até os ônibus têm suporte para carregá-las na parte dianteira.

Flores de Cerejeira cobrem o parque em frente ao Jefferson Memorial, em Washington

Parques e belos jardins convidam o visitante a longas pedaladas. Na foto, o Jefferson Memorial. Crédito: Thinkstock

Por ser uma cidade bike friendly, alugar carro não é imprescindível em suas 48 horas em Washington. Porém, alguns trajetos podem se tornar demasiados longos se você depender somente de transporte público – o metrô não cobre 100% da cidade – e talvez você não consiga visitar todos os lugares planejados por conta do tempo que gastará com o deslocamento. De qualquer forma, prepare-se para alguns trechos de caminhada durante o passeio (mesmo se optar pela bicicleta), principalmente na região central. E fique atento: algumas atrações podem parecer estar super próximas, mas na verdade exigem que você gaste um pouco mais da sola de sapato do que gostaria. Os táxis também não são todos padronizados, como em Nova York, por exemplo.

 

Dia 1

Todo turista que visita a capital dos Estados Unidos tem que dar uma passadinha nos jardins dos arredores e tirar uma foto em frente as grades da Casa Branca. A casa onde mora o presidente Obama é um dos ícones do país e o local perfeito para começar o passeio por Washington D.C. por conta de sua localização: fica em frente ao calçadão que não entra carro (somente os oficiais) da Pennsylvania Avenue, ao lado do Departamento do Tesouro e ao norte da região mais turística da cidade. Para fazer uma visita guiada gratuita na White House, é preciso agendar com alguns meses de antecedência, e o processo é bem burocrático (mas não é impossível). Próximo dali fica o Old Ebbitt Grill, um amplo restaurante que já foi muito frequentado por políticos, ex-presidentes e celebridades, desde a sua abertura em 1856. A dica é fazer uma reserva pelo site antes de se dirigir ao local – dependendo do horário, o tempo de espera pode ser de até uma hora. Peça um crab cake single (para uma pessoa) e, se gostar de ostras, experimente pelo menos uma das opções do menu.

Monumento a Iwojima, Washington DC, Estados Unidos

Washington DC está repleta de monumentos e memoriais relacionados a guerras e batalhas famosas, como a de Iwojima. Crédito: Destination DC

Ao sul da Casa Branca, a região “central” da cidade, onde fica a maioria das atrações turísticas de Washington, conhecida como National Mall, é uma espécie de “esplanada dos ministérios” de Brasília que abriga prédios lindíssimos e majestosos de órgãos públicos, como o da antiga central de correios, o Old Post Office Pavilion, os monumentos mais famosos da cidade, como o obelisco conhecido como National Monument, e uma imensa coleção de museus.

Para visitar os 19 museus e galerias gratuitas do Smithsonian (www.si.edu/Museums) que ficam ao longo do National Mall, você vai precisar de muito mais do que dois dias, principalmente porque muitos deles são históricos e têm muita coisa para ver. Uma dica: você pode passar por todos eles de bicicleta para situar-se – e também porque os prédios por si só já valem o passeio –, ou ir direto ao Smithsonian Information Center in the Castle, o centro de informações do local. O jardim do Hirshhorn Museum and Sculpture Garden, o Jardim Botânico e o tour no Capitólio (é preciso agendar antes) são ótimas pedidas para um primeiro dia na cidade: você vai ver um pouquinho de história, natureza e belíssimas esculturas. Há uma estação de bike bem próxima dali. Estacione e divirta-se.

No Capitólio, em Washington, funciona o congresso, o senado e a câmera dos representantes dos Estados Unidos

Um dos edifícios mais emblemáticos da capital, o Capitólio é a casa do congresso norte-americano. Crédito: Thinkstock

Para jantar, você pode ir para a região conhecida como Golden Triangle (www.goldentriangledc.com/), próxima à Casa Branca. Uma opção é o restaurante do renomado chef francês Alain Ducasse (www.adour-washingtondc.com/), no hotel St. Regis. Atenção: para não encontrar restaurantes fechados, certifique-se que aqueles que você deseja conhecer abrem nos finais de semana (algumas casas dessa região comercial da cidade abrem somente de segunda a sexta e costumam fechar cedo, o que pode ser inconveniente para o turista que não está olhando o relógio).

Dia 2

Reserve esse dia para curtir as atrações da “esplanada” que não deu tempo de ver no primeiro dia. O National Air and Space Museum, com a maior coleção de aviões históricos e ônibus espaciais do mundo, costuma ser um dos favoritos da criançada. A National Gallery of Art tem uma coleção que rivaliza com o Metropolitan, de Nova York, com direito a Cézanne, Gauguin, Monet, Manet, Van Gogh, Dalí, entre outros. Já nos arredores do National Mall, dois outros museus também valem a pena: o Newseum, que expõe cerca de 35 mil capas de jornais coletados ao longo de cinco séculos em sete andares de galerias, e o National Geographic Museum, no prédio onde é produzida a edição norte-americana da revista homônima, com exposições de curadoria impecável.

Newseum, Washington DC, Estados Unidos

O Newseum traz ótimas mostras permanentes e temporárias, como a de fotografias premiadas pelo Prêmio Pulitzer. Crédito: Sam Kittner/Newseum

Explore também Georgetown (www.georgetowndc.com/explore/dining/), um bairro chique e descolado de Washington. Lá você vai encontrar lojas de marca e também boutiques locais interessantes, além de restaurantes charmosos e da famosa Georgetown University. Há três estações de bike nessa região. Se estiver com pique, vá até lá pedalando.

Leia mais:

Mais atrações e informações sobre Washington DC

Roteiros 48 Horas – Destinos Internacionais

48 Horas em Nova York para Iniciantes

Dicas para começar a viajar de bicicleta

Galeria de fotos: metrópoles e bicicletas

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s