Muito além do Pelourinho

Em Salvador, o boêmio bairro do Rio Vermelho tem botecos na rua mas também restaurantes e hotéis descolados

Quando se pensa em Salvador é difícil não se lembrar das ruas estreitas e das casas coloridas do Pelourinho ou da folia dos trios elétricos deixando para trás o Farol da Barra. Os mais íntimos da cidade, no entanto, também se lembram do Rio Vermelho, centro oficioso e boêmio da capital baiana (e onde acontece, todo 2 de fevereiro, a Festa de Iemanjá). Ali estão endereços emblemáticos, como o do Acarajé da Dinha (Largo de Santanna, 71/3334-4350, www.casadadinhadoacaraje.com.br), um dos mais famosos (e gostosos) de Salvador. Mas, se para você acarajé só abre o apetite, considere a estrelada churrascaria rodízio Fogo de Chão (Praça Colombo, 4, 71/3555-9292; R$ 78), pertinho do Largo da Mariquita. A carne ali não é a única atração. Há também uma cocada de tabuleiro quente com sorvete de tapioca que não faz feio, longe disso (ela só aparece nessa unidade da rede, a propósito). A região ainda tem bons hotéis, como o Zank Boutique Hotel (Avenida Almirante Barroso, 161, 71/3083-4000, www.zankhotel.com.br; diárias desde R$ 560), que ocupa um luxuoso casarão de 1917. Mas a estrela do bairro é a dobradinha do Pestana Bahia e do Pestana Bahia Lodge (Rua Fonte do Boi, 216, 71/2103-8000, www.pestana.com; diárias desde R$ 300). Os dois empreendimentos ficam no mesmo local, mas têm perfis diferentes. O Lodge tem apenas 83 apartamentos, todos com vista para o mar e com uma piscina de borda infinita. No Bahia funciona o Club Ego (www.clubego.com.br), uma das baladas animadas da cidade. Falando em vida noturna, não podem ficar de fora os bares do Rio Vermelho, como o clássico Boteco do França (Rua Borges dos Reis, 24-A, 3334-2734), disputadíssimo, apenas com mesas externas e cervejas a preços paulistanos (R$ 8 uma simples Original). A feijoada e os escondidinhos são caprichados. Já no São Jorge Botequim (Rua Borges dos Reis, 16, 3334-8181), bar de alma carioca, sambistas se apresentam noite sim, noite sim. O Rio Vermelho é autossuficiente também em praia, algo que em Salvador é privilégio apenas da Barra e de Piatã para frente. A Praia do Buracão fica escondida atrás das casas da Rua Barro Vermelho e é frequentada, entre outros, por Carlinhos Brown. Fique esperto: o mar é agitado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s