Asfalto selvagem – Onde é melhor

Manaus: hotéis, restaurantes, passeios, compras e baladas

Ficar

O melhor hotel da cidade é o Tropical (Avenida Coronel Teixeira, 1320, 2123-5000, www.tropicalmanaus.com.br; diárias desde R$ 566; Cc: A, D, M, V; Cd: todos), às margens do Rio Negro. O complexo de lazer do hotel conta até com um píer exclusivo. Inaugurado há apenas dois meses, o Caesar Business (Avenida Darcy Vargas, 654, 3306-4700, www.caesarbusiness.com; diárias desde R$ 398; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) tem uma bela piscina, iluminada à noite. Dá para ver Manaus em 360 graus do terraço do Blue Tree (Rua Paraíba, 817, 3303-2000, www.bluetree.com.br; diárias desde R$ 288; Cc: D, M, V; Cd: todos), também novinho em folha. O Mercure (Avenida Mário Ypiranga, 1000, 2101-1100, www.accorhotels.com; diárias desde R$ 269; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) fica a uma quadra do Manauara, o melhor shopping da cidade. Mais econômicos, o Hotel do Largo (Rua Monsenhor Coutinho, 790, 3304-4751, www.hoteldolargomanaus.com.br; diárias desde R$ 180; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) e o novo Go Inn (Rua Monsenhor Coutinho, 560, 3306-2600, www.atlanticahotels.com.br; diárias desde R$ 119; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) têm ótima localização, pertinho do Teatro Amazonas.

Comer

O forte da cozinha manauara são os pratos à base de peixes de água doce, sempre com bastante farinha. O bufê de O Lenhador (Avenida do Turismo, 2371, 3239-0004, www.olenhador.com.br; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) vai mais longe, com moqueca de arraia e carne de jacaré. O regional Banzeiro (Rua Libertador, 102, 3234-1621, www.restaurantebanzeiro.com.br; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) tem caldeirada de costela de tambaqui, peixe que pode chegar a mais de 1 metro de comprimento. Cidade de muitos portugueses, Manaus conta com bons lugares para comer bacalhau. É o caso do Alentejo (Rua Pará, 555, 3233-7300; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) e do Adega Bernardino (Rua Acre, 105, 3584-4396; Cc: A, D, M, V; Cd: todos). Se puder, dispense um dia o café da manhã do hotel e vá se deliciar com o café regional do Joelza (Avenida Torquato Tapajós, próximo ao trevo da Estrada do Tarumã, 3654-5487; Cc: A, D, M, V; Cd: todos). Lá tem o x-caboclinho, sanduíche de pão francês recheado de tucumã, fruta típica do Norte, e queijo de coalho, que pode ser encontrado em diversas barracas de rua. E, para espantar o calor, a Glacial (Avenida Getúlio Vargas, 161-A, 3233-7940, www.glacial.com.br; e mais dez endereços) tem sorvete de sabores locais, como cupuaçu e açaí.

Passear

O mais bacana dos prédios históricos de Manaus é que a maioria não cobra entrada. Melhor ainda: eles contam com visitas guiadas, também gratuitas, em que não há horário marcado nem quantidade mínima de visitantes. Basta aparecer, e um guia vai lhe contar todos os detalhes sobre o que existe por trás das pedras de mármore, dos tetos de gesso e dos lustres de cristal. O Teatro Amazonas (Praça de São Sebastião, 3232-1768; 2ª/sáb 9h/17h; R$ 10; Cc: D, M, V; Cd: todos) é o único pago. O local é o ponto de partida para qualquer visita pela cidade. Bem na frente está a Praça de São Sebastião, com um monumento em homenagem à abertura dos portos do Rio Amazonas às nações amigas, com detalhes de bronze. O Palácio da Justiça (Avenida Eduardo Ribeiro, 3248-1844; 3ª/6ª 10h/15h, dom 17h/21h), atrás do teatro, funcionou durante décadas como tribunal e hoje é um centro cultural, com exposições de arte. Andando mais duas quadras você chega ao recém-inaugurado Museu Casa de Eduardo Ribeiro (Rua José Clemente, 322; 2ª/6ª 9h/17h, dom 16h/21h), todo mobiliado como uma casa manauara do fim do século 19. O Palácio Rio Negro (Avenida 7 de Setembro, 1546, 3232-4450; 2ª/6ª 9h/15h) abriga hoje um centro cultural. Interessante é que, logo atrás dele, há um belo jardim, por onde corre o Igarapé de Manaus, em que há poucos anos várias famílias moravam em palafitas. No Palacete Provincial (Praça Heliodoro Balbi, 3622-8387, 3ª/5ª 9h/19h, 6ª/sáb 9h/20h, dom 16h/21h) estão a Pinacoteca e o ótimo Museu de Numismática. A vida do amazônico do século 19 pode ser conhecida no Seringal Vila Paraíso (3ª/dom 8h/16h; R$ 5). É preciso pegar um barco na Marina do David, logo após a entrada do Tropical Hotel. A passagem de barco custa R$ 14 (ida e volta). Ao retornar, pare para observar o incrível pôr do sol na Praia da Ponta Negra. Já no Museu do Índio (Rua Duque de Caxias, 396, 3635-1922; 2ª/6ª 8h30/16h30, sáb 8h30/11h30; R$ 5) há utensílios de tribos amazônicas. Para continuar em clima de selva, visite o belo Bosque da Ciência (Avenida André Araújo, 2936, 3643-3293, www.bosque.inpa.gov.br; 3ª/6ª 9h/11h30 e 14h/16h30, sáb/dom 9h/16h30; R$ 5), onde você verá tanques com peixes-boi e um lago cheio de tartarugas. Outro bom local para ver os bichinhos é no Zoológico do Hotel Tropical (8h/17h). Não vá embora de Manaus sem fazer o passeio ao encontro das águas (saídas do porto, 3232-3052, www.amazonexplorers.com.br; R$ 100; 3ª/dom 8h30; Cc: D, M, V; Cd: todos).

Comprar

A Zona Franca de Manaus não é a mais a mesma, mas Manaus ainda tem produtos importados com preços competitivos à venda em seus shoppings, como o Amazonas (Avenida Djalma Batista, 482, 3303-9000, www.amazonasshopping.com.br) e o Manauara (Avenida Mário Ypiranga, 1300, 3236-8820, www.manauarashopping.com.br). A Top Internacional (3236-1278; Cc: A, D, M, V; Cd: todos) está nos dois shoppings (e no aeroporto) e vale para perfumes e bebidas. Para artesanato, vá à Central de Artesanato Branco e Silva (Rua Recife, 1999, 3236-1241; 2ª 12h/18h, 3ª/6ª 9h/18h, sáb 9h/16h). Aos domingos, chegue cedo e tome o café da manhã na Feira de Artesanato da Eduardo Ribeiro (Avenida Eduardo Ribeiro; 8h/13h). Alguns produtos esgotam durante a manhã, como os sabonetes da Harmonia Nativa (3087-7944, www.harmonianativa.com.br; Cc: M, V; Cd: todos), feitos de produtos locais, como açaí, cupuaçu e buriti. Os minissabonetes dão ótimas lembranças de viagem. Aliás, trazer bombons de cupuaçu de Manaus é quase obrigatório. Os mais gostosos são os da Oiram (Rua Rio Jutaí, 580, 3584-6525, www.oiramchocolates.com.br; Cc M, V; Cd: todos). Há um quiosque no aeroporto.

Agitar

O All Night (Rua Ephigênio Salles, 2085, 3236-2230, www.allnightpub.com; 5ª/sáb 22h/3h; ingressos desde R$ 20; Cc: D, M, V; Cd: todos) tem bandas de pop rock. Já O Chefão (Rua Ferreira Pena, 50, 8189-5897, www.ochefao.com; 2ª/6ª 19h/1h, sáb 20h/1h) vai de blues e MPB. Para ouvir música eletrônica, é só ir à Musique Nuit (Rua Mário Ypiranga Monteiro, 1010, 3321-4456, www.musiquenuit.com.br; 4ª e sáb 23h/5h; ingressos desde R$ 40; Cc: A, D, M, V; Cd: todos).

* O DDD de Manaus é 92

Leia mais:

Asfalto selvagem

Asfalto selvagem – O essencial

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s