As peregrinações mais famosas do mundo

Seja qual for o destino, essas jornadas espirituais têm um poder transformador; veja roteiros conhecidos no mundo inteiro pela energia mística que carregam

1. Monte Kailash, China

A volta ao redor do sagrado Kailash, na China

A volta ao redor do sagrado Kailash, na China (Mark Daffey/Getty Images)

Talvez você nunca tenha ouvido falar nessa montanha do antigo Tibete (hoje China), mas o Monte Kailash é sagrado para budistas, induístas e jainistas. Ou seja, ele é venerado por nada menos que um quinto da humanidade.

Os peregrinos ali fazem a kora, caminhada sagrada de 52 quilômetros ao redor do monte, que nunca foi escalado. Uma kora apaga todos os pecados da vida, 108 koras garantem o nirvana.

Tibetanos em geral completam o percurso em um único dia, enquanto os forasteiros fazem em dois ou três dias. Não é exatamente um percurso difícil, mas o cenário lunar desse canto do Himalaia e a altitude – mesmo na base – pegam.

O ponto mais alto é a passagem de Dolma La, a 5 700 metros, onde os peregrinos trocam uma oferenda por outra que esteja lá.

2. Pico de Adão, Sri Lanka

Um outro pico sagrado, mas nele o objetivo é mesmo chegar ao cume, onde há uma pedra em formato de pé. Se é de Buda, de Shiva ou de Adão, só depende da do caminhante. É um trekking de cerca de 3 horas morro acima, de modo que o ideal é partir às 2 da madrugada para ver o nascer do sol lá do alto.

3. Trilha Inca, no Peru

Warmiwanusca, Trilha Inca, Peru

Trilha Inca, no Peru (Anthony Pidgeon/Getty Images)

Mais famosa peregrinação da América do Sul, essa rota antiga e estreita conecta o Vale Sagrado a Machu Picchu, cidade inca que ficou escondida dos conquistadores espanhóis e esquecida até o século 20.

Percorrer esses 43 quilômetros – uma tarefa que leva quatro dias – não é uma experiência ligada a nenhuma religião, mas sim uma empreitada mística e transformadora para todos.

Chegar à misteriosa cidade inca que ainda guarda muitos segredos é algo bastante espiritual.

Mais sobre destinos religiosos
De Jerusalém à Cisjordânia: uma jornada espiritual por Israel
Fiz o caminho de Santiago de Compostela e isso mudou a minha vida
Santuário de Fátima, em Portugal, completa seu centenário em 2017
Vaticano: a arte de ver um país inteiro em um só dia
De Dharamshala a Varkala: uma viagem de paz e caos pela Índia
Uma explosão de pessoas na procissão do Círio de Nazaré
Santas festanças deste Brasil

4. Kumano Kodo, Japão

Kumano Kodo, Kii Hanto, Japão

No Japão, a Kumano Kodo (Jörg Larson/Flickr)

Depois do Caminho de Santiago, Kumano Kodo, na província de Kii Hanto, no Japão, é a peregrinação mais conhecida do mundo. Tanto que as duas estão na lista da Unesco de Patrimônios Históricos da Humanidade.

Também como Santiago, Kumano não é apenas uma trilha, mas vários caminhos antigos que conectam a cidade de Osaka ao sagrado complexo de Kumano Sanzan, englobando três templos.

A rota mais famosa e antiga, percorrida há pelo menos um milênio, é a Nakahechi, que começa no oeste e segue por 30 quilômetros. É um caminho que vai passando por florestas e pequenos santuários escondidos.

A tradição de Kumano Kodo é também bem democrática: camponeses ou imperadores, todos passam por essa prova espiritual.

5. Caminho do Peregrinos, Inglaterra

A rota de 180 quilômetros que liga Londres à Catedral de Canterbury ficou muito popular a partir do século 12. Tudo começou em 1170, quando o arcebispo de Canterbury, Thomas Beckett, foi assassinado pelos cavaleiros do rei Henrique II e rapidamente canonizado por causa dos milagres a ele atribuídos.

A rota original mudou um pouco de traçado por causa das estradas modernas que foram surgindo pelo caminho, mas os peregrinos modernos veem no Caminho uma ótima desculpa para uma pernada de duas semanas atravessando o lindo interior da Inglaterra.

6. Caminho da Fé, Brasil

Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, Aparecida, São Paulo, Brasil

Santuário de Aparecida, em São Paulo (Ruy Barbosa Pinto/Getty Images)

Inspirados no Caminho de Santiago, os peregrinos podem partir de 17 cidades de São Paulo e Minas Gerais – o grande hub é a cidade paulista de Águas da Prata, onde surgiu a ideia – e seguir até o Santuário de Nossa Senhora Aparecida.

O caminho mais longo tem 541 quilômetros, e o mais curto, 134. E a rota funciona como na Espanha: há uma Credencial de Peregrino a ser carimbada pelo trajeto, uma lista de pousadas, mapa e, ao chegar a Aparecida, ganha-se um certificado que prova a conclusão da peregrinação.

7. Peregrinação de bicicleta, Itália

Giro da Lombardia, Itália

A peregrinação italiana de bike (Tim de Waele)

Em 1949, o papa Pio XII reconheceu a Madonna del Ghisallo como santa patrona dos ciclistas. E, como era de esperar, a subida de Bellagio, às margens do Lago di Como, até a capela em homenagem à santa virou uma curiosa rota de peregrinos bikers.

As bicis estão em todas: dentro da capela e, ao lado, em um museu dedicado a elas. Esse trajeto de apenas um dia faz parte de um circuito maior conhecido como Giro da Lombardia.

Texto publicado na edição 254 da revista Viagem e Turismo (dezembro/2016)

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s