5 programas inesquecíveis para imergir na cultura toscana

Dos passeios pela natureza aos achados da gastronomia italiana, veja passeios autênticos na região

1. Hiking na Toscana

Girassóis em Pozzo (Divulgação/Divulgação)

Para caminhar e explorar lugares pouco turísticos, visite o Toscana Fuori Sentiero, grupo de experientes guias ambientais. Em excursões escolhidas pelos participantes, o grupo explora centros arqueológicos e paisagens inusitadas, que vão da região dos Alpes aos Apeninos, até as colinas do Chianti.

Veja também

 

 

2. Street Food na Toscana

(Divulgação/Divulgação)

Andando por Florença, você acha o delicioso lampredotto (ou trippaio), sanduíche da antiga cozinha popular fiorentina, com miúdos e ervas aromáticas. O primeiro quiosque nasceu no fim de 1800, ao lado da Piazza della Signoria, na Loggia del Porcellino, onde ainda pode ser encontrado.

Veja também

 

 

3. Spitirual Guards

A escultura do homem segurando uma cruz (Divulgação/Divulgação)

Até outubro, o viajante encontra, na Piazza della Signoria, no Palazzo Vecchio e no Forte Belvedere, em Florença, a mostra Spiritual Guards, de Jan Fabre. É interessante o diálogo entre obras antigas da cidade e as ousadas e gigantescas esculturas do artista, como a L’Uomo che Porta la Croce (foto).

Veja também

 

 

4. Dario Cecchini

O açougue mais famoso da Itália (Divulgação)

Dario Cecchini é o mais popular açougueiro do país. Em Panzano in Chianti, a 30 quilômetros de Florença, a Antica Macelleria Cecchini há oito gerações se destaca nos cortes. Lá, Cecchini tem ainda dois restaurantes – o Solociccia e o Officina della Bistecca, onde se saboreia carnes deliciosas. E vai abrir uma casa de sanduíches no antigo Castelo de Panzano.

Veja também

 

 

5. L’Eroica – A aventura vintage de bike

Um belo cenário para se pedalar (Divulgação/Divulgação)

Todos os anos, em outubro, acontece a competição que, desde 1997, reúne cerca de 5 mil ciclistas pelas mais bonitas estradas do Chianti. Os participantes escolhem um dos três circuitos, que variam entre 46 e 209 quilômetros, e fazem o percurso com bicicletas antigas e roupas esportivas características da época original das suas magrelas.

Veja também

 

 

 

 

O texto é de Jussara del Mastio, dona do agriturismo Podere Felceto, em Panzano in Chianti

Publicado na edição 257 da revista Viagem e Turismo (março/2017)

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s