Túnis

Site: http://www.commune-tunis.gov.tn/publish/content/

População: 728.453 hab

Fuso horário: +5h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Sfax 273km, Tabarka 172km, Monastir 175km

Ao contrário do restante da Tunúsia, Túnis, sua capital, transpira um ar europeu (algo como Tel-Aviv para Israel ou Istambul para a Turquia). Pouco se vê nas ruas mulheres cobertas da cabeça aos pés nem usando o tradicional lenço nos cabelos. O passeio pela cidade de 1 milhão de habitantes começa pela Grande Medida, onde Túnis nasceu 500 anos atrás e, desde 1979, é considerada patrimônio mundial pela Unesco. Se a escolha recair na hora do almoço, tente imaginar a paulistana rua 25 de março apinhada de gente. Verá algo parecido ao entrar na medida, sobretudo por seu portão principal. Nativos acotovelam-se pelas vielas labirínticas para entrar nas lojas de roupas, sapatos e produtos falsificados (lá também é o popular centro de compras deles). Ao turista, interessa mais os souks (mercados) especializados em ouro, cerâmica, especiarias, tecidos, perfumes… É fácil se perder nesta área de 1 quilômetro quadrado e, por isso, tenha sempre à mão um mapa da medina (disponível nos quiosques turísticos) ou localize-se por sua principal atração: a grande mesquita Ez-Zitouna, construída entre os séculos 8 e 9, que possui um minarete de 44 metros de altura e 184 colunas procedentes das ruínas de Cartago (só os muçulmanos têm acesso ao seu interior). Um pouco mais afastado do centro, o Museu do Bardo é outra parada obrigatória. Sua preciosa coleção abriga esculturas, terracotas, vasos e azulejos, desde peças da Idade da Pedra até objetos dos períodos romano, cartaginês, cristão e islâmico. As vedetes são os mosaicos romanos, entre eles o Triunfo de Netuno, que tem 70 metros quadrados e ocupa todo um andar.

COMO CHEGAR

Não existe voo direto do Brasil para a Tunísia. Escolha uma companhia que voe para a Europa, fazendo conexão em Madri, Roma ou qualquer outra capital européia, ou então vá até a região italiana da Sicília e pegue uma balsa.

Informações ao viajante

Línguas: árabe

Saúde: Nenhuma vacina é obrigatória


Melhor época para visitar: Primavera e outono são as estações ideais, embora o inverno também não seja muito rigoroso. Evite o auge do verão (julho e agosto), a multidão e o calor são excessivos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s