Tóquio

Site: http://www.tourism.metro.tokyo.jp/english

População: 13.000.000 hab

Fuso horário: +12h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Kyoto 463 km, Hiroshima 852 km, Nikko 150 km, Matsumoto 220 km, Sapporo 1130 km, Fukuoka 1098 km, Osaka 511 km, Yokohama 41 km, Tokyo Disneyland 26 km, Nagoya 355 km

A capital do Japão é uma das maiores megalópoles do planeta, uma imensa e pulsante mancha urbana com centenas de quilômetros de linhas de trem e metrô, dezenas de espetaculares edifícios onde matrizes de multinacionais enviam ordens a todo o planeta e milhões de pessoas andando de lá para cá. Mas quase nenhum motorista toca a buzina, as ruas são incólumes e existe um respeito velado pelo próximo. O futuro está nas cidades, então que elas busquem soluções sustentáveis e sociais como as que Tóquio (ou Tokyo) vem buscando concretizar.

A cidade histórica, que remete diretamente ao vilarejo de pescadores no estuário do rio Sumida, está presente em Asakusa – o tradicional distrito comercial com o fotogênico templo Sensoji, e em Ryogoku – onde enormes lutadores de sumô passeiam despreocupadamente em suas bicicletas. A cidade jovem e vanguardista você verá nas sempre animadas ruas de Shibuya e nas baladas de Roppongi – apinhadas de turistas estrangeiros. A alta gastronomia e o consumo de grifes famosas estão espalhados por toda a cidade, mas especialmente em lugares como no bairro de Ginza e na movimentada alameda Omotesando você encarará um público dos mais exigentes. Não importa se o seu destino inclui multicoloridos neons ou calmos jardins, Tóquio continua sendo uma das cidades mais vanguardistas do planeta, mirando em soluções para temas como sustentabilidade, transporte público de massa e poluição (sonora, visual, do ar). Até a famosa sociedade de consumo desenfreado vem dando lugar à atitudes mais responsáveis e frugais.

Tóquio é a terra do sushi, que surgiu em volta de mercados de pescados como o gigantesco Tsukiji, portanto não tente achar opções por aqui com tabasco, cream cheese e maionese. Opções de compras são muitas, variadas e tentadoras, oscilando entre o impecavelmente chique, sedutoramente bem desenhado, docemente fofo (você irá se fartar com Pikachus e Hello Kittys) e insanamente tecnológico (boa parte do melhor em eletrônicos e fotografia fica restrito ao mercado interno). Ou seja, foi com essa mistura de design, funcionalidade e preços razoáveis que o Japão conquistou o mundo e continua chamando a atenção de consumidores em todo planeta.

ARREDORES DE TÓQUIO

Pertinho da cidade há uma grande variedade de bons passeios. De metrô é possível chegar na Tokyo Disneyland, opção para quem viaja com crianças. Na vizinha Yokohama você encontrará um excelente parque aquático, com um enorme aquário, uma das melhores Chinatown do Japão e uma área portuária bastante agradável. Aproveite que está aqui para conhecer Kamakura e seu grande Buda. Para se aprofundar mais em história, não deixe de ir a Nikko, ao norte da capital, uma excursão que leva um dia inteiro, mesmo período que é necessário para fazer um bate-e-volta ao Monte Fuji.

COMO CHEGAR

Tóquio está conectada com o resto do país através das linhas do shinkansen, o trem-bala, e trens locais administrados pela Japan Rail (www.jreast.co.jp/e). Para destinos mais distantes companhias como ANA (www.anayskyweb.com) e Japan Airlines (www.jal.com) operam voos a partir dos aeroportos de Haneda (www.haneda-airport.jp/inter/en)e Narita (www.narita-airport.jp/en). Do aeroporto ao centro de Tóquio existem várias alternativas de conexão, mas as mais recomendadas são as linhas de trem.

COMO CIRCULAR

Tóquio possui uma vasta malha de trens metropolitanos e linhas de metrô. A linha circular Yamanote da Japan Rail interliga todas as principais estações ferroviárias da cidade, como Tóquio Central, Shinjuku e Ueno, todas com ligações com o metrô.

ONDE FICAR

Como uma das principais cidades do mundo, a oferta de quartos aqui é farta. Há inúmeros hotéis de redes internacionais que possuem os serviços e estrutura de sempre, com staff fluente em inglês e preços razoáveis (para os padrões japoneses). Alguns estabelecimentos, como o Park Hyatt, encontram-se entre os melhores do mundo e são uma aula de etiqueta e bom serviço.

Como quase sempre há uma estação ferroviária ou de metrô perto dos hotéis, a localização não chega a ser um grande problema, mas vale a pena pesquisar estabelecimentos em bairros como Ginza, Hibiya, Roppongi e Shinjuku, no entorno da estação central Tokyo, ou nas imediações das estações da linha circular Yamanote, principalmente as de Ueno, Shibuya e Harajuku.

Albergues da juventude encontram-se entre as opções mais baratas e os hotéis-cápsula são só para os desesperados.

O QUE COMER

O prato nacional do Japão, o sushi, nasceu aqui, quando a capital ainda se chamava Edo. Aqui encontram-se as melhores casas especializadas no prato com preços normalmente dolorosos. Para comer bem e economizar um pouco, vá até os restaurantes próximos ao mercado de Tsukiji. Igualmente premiados são restaurantes estrelados que trazem o melhor da gastronomia francesa e local, servindo iguarias como enguia grelhada, espetinhos sortidos fritos (kushi-age), populares espetinhos grelhados (kushimono, sendo o mais conhecido o yakitori de frango) e muito mais. Aliás, considerando que tem gente do Japão inteiro morando aqui, você encontrará todo tipo de prato.

Uma boa dica é entrar em uma loja de departamentos, como a Mitsukoshi ou a Takashimaya, e explorar seus andares dedicados à gastronomia. Neles você encontrará diversos pequenos e simpáticos restaurantes, especializados em diversas cozinhas.

Não se acanhe também frente aos excelentes cafés locais, sempre servindo tortas e bolos muito melhores do que a média brasileira.

COMPRAS

No passado, Tóquio era uma espécie de Meca dos eletrônicos, principalmente no bairro de Akihabara. Esse DNA continua vivo na alma da cidade, sempre cheio de ofertas em câmeras fotográficas de marcas como Nikon e Canon, ou aparelhos de som de acústica perfeita. No entanto, vale a pena explorar lojas casuais que vem ganhando o mundo, como Uniqlo e Muji, grandes lojas de departamento – Isetan, Takashimaya, Mitsukoshi e Daimaru, entre outras – e uma das ruas mais charmosas da Ásia, Omotesando, repleta de lojas de grife, restaurantes e a Kiddyland, especializada em brinquedos.

Tradicionais aparelhos de chá, quimonos, leques, papéis e cadernos, materiais de desenho e pintura e brinquedos de personagens como Pokemon, Hello Kitty, Doraemon e do Studio Ghibli são opções de suvenir bastante populares.

Informações ao viajante

Línguas: Japonês. Alguns jovens também falam inglês,assim como boa parte dos funcionários de hotéis. As estações de trem e metrô são bem sinalizadas.

Saúde: sem demandas especiais


Melhor época para visitar: Entre março e maio e setembro e novembro o clima é mais agradável, já que o verão é bem quente e úmido. No entanto, é exatamente nessa época que ocorrem muitos festivais e shows de fogos de artifício, que são espetaculares.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s