Arusha

População: 285.000 hab

Fuso horário: +6h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Dar es Salam 650 km

Localizada no norte da Tanzânia sob o Monte Meru e nas proximidades do Kilimanjaro, a capital da região homônima é hoje um grande centro africano de diplomacia e negócios e luta para reduzir a pobreza. Destaca-se mesmo por ser a porta de entrada para os turistas que pretendem fazer safáris pela região. Hotéis mais simples e alguns luxuosos (e incríveis) compõem a estrutura de hospedagem por ali. O Parque Nacional de Arusha, por exemplo, tem uma área pequena em comparação aos demais, mas oferece belíssimas paisagens e espécies de animais que habitam o Monte Meru. Rendem boas fotografias uma passagem pelo conjunto de lagos Momela e pela Cratera Ngurdoto. Aqueles que encararem uma escalada até o pico do Meru serão recompensados com uma arrebatadora vista do Kilimanjaro. Localizado no coração do Grande Vale Rift – que atravessa Quênia, Tanzânia e boa parte da África oriental, sua esplendorosa visão é um dos pontos altos da viagem. A cerca de uma hora de Arusha fica o célebre Serengeti, um dos parques nacionais mais conhecidos e exuberantes do país. Suas terras abrigam mais de 500 espécies de aves e mamíferos, como macacos, girafas, leões e búfalos.

ONDE FICAR

A maioria dos turistas nem chega a parar em Arusha, indo direto para os lodges na savana. No entanto, existem alguns bons hotéis na cidade, como o Arusha Coffee Lodge e o Impala Hotel.

ONDE COMER

Por séculos a Tanzânia foi um cruzamento entre povos vindos de Portugal, Inglaterra, sul da Ásia e Oriente Médio e essa mistura é facilmente percebida em sua rica cozinha. Duas opções recomendadas são o Amar Cuisin e o Onsea House.

O QUE FAZER

A maioria dos safáris são feitos ao nascer do sol ou no fim da tarde, quando as temperaturas estão mais amenas. Afinal de contas, no calor até os animais ficam apáticos e arredios. Arusha possui alguns programas, mas o melhor mesmo está nos parques.

Informações ao viajante

Línguas: Suahíli e Inglês

Saúde: Certificação internacional para febre amarela


Melhor época para visitar: É possível visitar o país em todas as épocas do ano. No entanto, o melhor período é o inverno, de junho a setembro, quando o tempo seco e vegetação menos densa ajuda a observar os animais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s