Restaurantes em Nova York para quem tem restrições alimentares

Há inúmeras opções em NY para quem não pode ou quer comer glúten, leite, ovo, carne... Veja dicas de restaurantes, confeitarias, pizzarias e cafés

Sim, vou escrever em breve sobre o meu roteiro em Washington D.C., conforme prometido no último post. Mas hoje decidi abordar esse assunto, porque recebo muitas perguntas sobre isso. Tanto de quem tem alergias alimentares, quanto de quem é intolerante ou simplesmente não quer comer determinados ingredientes.

Felizmente, a minha resposta é sim! Independente do motivo que te faça ter uma alimentação mais restritiva, dá para comer muito bem em Nova York. E isso vale para quem não pode ou não quer pratos com: leite, glúten, ovo, carne…

Você pode trocar o pão por bagel de grão de bico

Não é porque você não pode comer glúten que vai deixar de experimentar alguns dos clássicos de Nova York, como bagel. Há várias versões do pãozinho com furo no meio para quem tem alergia, intolerância ou está apenas de dieta. Eles são feitos, por exemplo, com grão de bico.

No melhor lugar para comer lox and bagel da cidade, o Russ and Daughters, há opções sem glúten, uma variedade maravilhosa de salmão defumado e várias pastinhas, além do clássico cream cheese. Outro lugar bacana para experimentar o sanduíche é o Tompkins Square Bagels

Quase todas as boas cafeterias oferecem, no mínimo, duas variedades de leite para quem não toma o de vaca, principalmente de amêndoas e de arroz. Aqui eu percebi uma certa resistência aos produtos feitos com soja, por conta dos transgênicos e da monocultura nociva ao meio ambiente.

Se você é uma formiguinha, como eu, pode comer cupcakes e biscoitinhos no Jennifer’s Way Bakery, onde absolutamente tudo é sem glúten, soja, leite, açúcar refinado e ovo! E o melhor é que os bolinhos  são bem macios e leves, coisa rara aqui, além de saborosos.

Há uma bakery em NY onde todas as opção são sem leite, ovo, glúten, soja e açúcar refinado! (Talita Ribeiro)

Você pode trocar o queijo da pizza por um sem lactose

Já recebi alguns amigos aqui em casa com restrições alimentares, inclusive, foi isso que me fez começar a prestar atenção nos restaurantes que frequento. E, felizmente, a maioria dos lugares legais oferecem opções para quem tem algum tipo de alergia.

No meu italiano predileto, o San Marzano, onde o prato de massa fresca com molho caseiro custa US$ 9, há um opção sem glúten e várias sem queijo. Até a clássica pizza em pedaço com queijo sem leite existe, no Joe’s Pizza do Brooklyn! Outro lugar que dá para pedir sem medo, é o famoso Roberta’s, que oferece opções da redonda para quem tem restrições.

Como eu já comentei no post sobre fast foods, há opções vegetarianas na maioria dos lugares também, além do Superiority Burger, vegetariano que encanta até o mais carnívoro dos homens.

Se você gosta de cozinhar, ainda encontra muitos produtos incríveis nos mercados da cidade, principalmente no Whole Foods e no Trader Joe’s.

Massa fresca e sem glúten, com molho caseiro, por até US$ 10? Tem sim! (Talita Ribeiro)

Você pode trocar o sorvete por uma versão vegana (e com amor)

A minha sorveteria predileta aqui, a Van Leeuwen, tem tantas opções veganas quanto com leite e vários sabores sazonais diferentes. Se você gosta mesmo é de sorvetes de fruta, os chamados sorbet, pode ir também na Amorino, a famosa sorveteria européia que faz lindas casquinhas em forma de flor. Até mesmo as sorveterias de bairro, como a Davey’s Ice Cream, oferecem algumas opções sem leite. E claro, todas elas estão no #nyc10orless.

Ah! E só mais uma dica, a Confectionery é uma doceria vegana incrível, que vende bombons, cookies, macarons… E tem até um delicioso e cremoso chocolate quente com marshmallows, sem leite de vaca e sem ovo! Vale muito a pena conhecer, mesmo se você não tiver restrições.

Uma sorveteria onde há tantas opções veganas quanto com leite, que tal? (Talita Ribeiro)

Gostou? Tem outras sugestões ou dúvidas? Escreva nos comentários!

(Quem está esperando o segundo post sobre Washington, ele virá segunda! E a previsão para o ápice da florada da cerejeira mudou, agora é de 19 a 22 de março – dá para acompanhar no site do National Park Service)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s