11 maneiras de se divertir em Floripa sem entrar no mar gelado

Só corajosos arriscam banho de mar em Florianópolis no inverno. Mas a capital catarinense tem muito a mostrar além das praias; veja dicas de atrações

As praias fazem a fama de Florianópolis: o surfe na Joaquina, os corpos sarados na Praia Mole, os argentinos lotando Canasvieiras, as baladas (agora em risco) de Jurerê Internacional.

Agora vamos combinar que banho de mar na Região Sul é datado, vai de novembro a abril, né! O que está longe de dizer que não há vida turística em Floripa.

Abaixo estão sugestões de 11 ótimos passeios para você se divertir em Florianópolis sem precisar colocar o pé na areia.

1. Santo Antônio de Lisboa

(Otávio Nogueira/creative commons/Flickr)

Mesmo em época de praia, passar ao menos uma tarde em Santo Antônio de Lisboa é obrigatório. O distrito de colonização açoriana fica entre o Centro e as praias do norte. As casinhas pintadas em cores fortes, o calçamento de pedra de algumas vias, a igrejinha, as lojinhas de artesanato: tudo conspira a favor.

Nos fins de semana fica difícil conseguir um lugar nos deques à beira-mar dos bares e restaurantes. Ainda por cima tem uma boa panorâmica da Ponte Hercílio Luz bem ao fundo. Banho de mar? Mesmo no verão, não é convidativo, as águas são dominadas por barcos de pescadores.

Bater perna pelas lojinhas de artesanato é certeza de desembolsar uma grana, especialmente em peças de cerâmica e rendas. Nas tardes de sábado e domingo, a Praça Roldão da Rocha Pires chapa de barracas durante a Feira das Alfaias.

Fora do centrinho colorido, já na rodovia de ligação para as praia do norte, o Museu O Mundo Ovo de Eli Heil (aberto apenas sob agendamento) mostra as fortes esculturas da artista plástica. Atenção: o museu não tem placas indicativas.

2. Ribeirão da Ilha

Ribeirão da Ilha, Florianópolis

Ribeirão da Ilha, em Florianópolis, e as fazendas de ostras (Ana Luiza Oliveira/Creative Commons)

Certamente você já ouviu falar das ostras de Florianópolis, correto? Pois bem, saiba que o distrito, na parte sul da cidade, é o principal produtor da ilha. Também de colonização açoriana, mas sem o agito e o charme de Santo Antônio de Lisboa, Ribeirão da Ilha remete aquelas cidades do interior paradas no tempo.

O programa aqui é relaxar e curtir a vista dos criadouros de ostra. E, claro, sentar nos restaurantes para prová-la de várias formas. O Ostradamus e o Rancho Açoriano são apostas certeiras.

3. Centro Histórico

O Mercado Público é a construção mais famosa do Centro de Florianópolis (Rodrigo Soldon/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)

Antes de mais nada, não espere por um Centro Histórico de provocar lágrimas. Mas é um programa divertido para se fazer pela manhã, pode ter certeza.

O ponto inicial pode ser a agradável Praça XV, onde uma figueira de 1871 dá as boas-vindas. Reza a lenda que quanto mais voltas você dar nela, mais riqueza e sorte terá. A Praça XV abriga a Catedral Metropolitana e o Palácio Cruz e Souza, que foi sede do governo estadual e hoje lá funciona o Museu Histórico de Santa Catarina, um típico museu cheio de mobiliário. Entrando no calçadão da Rua Victor Meirelles logo chegamos no Museu Victor Meirelles com as obras do famoso pintor catarinense.

Do outro lado da praça, andando a enormidade de 350 m a partir do museu, chegamos na Casa da Alfândega, uma construção de 1875, cheia de lojinhas de artesanato. Ao lado dali, o Mercado Público marca o ponto final do tour. Mais do que as lojas, são os bares e restaurantes que chama, a atenção, em especial o Box 32, que serve primorosos bolinhos de bacalhau.

4. Ponte Hercílio Luz

Ponte Hercílio Luz, Florianópolis (SC)

Cartão-postal de Florianópolis (SC), a Ponte Hercílio Luz ainda é uma das atrações mais fotografadas da cidade (Divulgação)

Inaugurada em 1926, a maior ponte-pênsil brasileira, com 821 metros, está há muito tempo sem receber carros (esses nunca mais devem circular nela) e pedestres (após uma eterna reforma estrutural, pode ser que em 2018, pessoas possam voltar a caminhar por lá). Porém, segue como uma das atrações mais visitadas da cidade – um mirante do final da Avenida Adolfo Konder garante curtir a imponente construção com calma. Sem contar o show que é vê-la iluminada durante à noite.

5. Passeio de escuna para os fortes

Forte de Santa Cruz de Anhatomirim, Florianópolis, Santa Catarina

Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim: a mais imponente de Florianópolis (Valmir Singh Creative Commons)

Quem disse que você não iria entrar no mar? Ao menos vai a bordo de uma escuna. O mote é ver algumas panorâmicas da praia e da cidade e visitar fortificações.

Aviso importante: se você torce o nariz para passeios com personagens trajados de pirata a bordo, vá bem preparado. Geralmente é a gurizada quem ama esse tipo de entretenimento.

São dois roteiros com cinco ou seis horas de duração. No mais curto, a escuna deixa a Praia de Canasvieiras (ao norte de Floripa), faz um rolê pelas praias vizinhas, circula o Forte de São José da Ponta Grossa, antes da parada no Fortaleza de Santa Cruz do Anhatomirim, a mais imponente fortificação da ilha. Antes do retorno há parada para almoço em um restaurante praiano da cidade de Governador Celso Ramos.

O roteiro mais longo tem saída no trapiche ao lado da Ponte Hercílio Luz e, além da parada na Fortaleza de Santa Cruz do Anhatomirim, ainda faz um pit stop no Forte de Santo Antônio de Ratones. Assim como o roteiro anterior, também há almoço em Governador Celso Ramos.

Ah, ainda há um tempo reservado para banho de mar. Mas, nessa época do ano é preciso muita coragem.

  • Horário: diariamente ás 11h (Canasvieiras) e 10h30 (Centro)
  • Preço: R$ 75 (os dois roteiros, não inclui taxa de entrada na Ilha de Anhatomirim e almoço)
  • Telefone: 48/3225-1806

6. Lagoa da Conceição

Lagoa da Conceição

Esportes, gastronomia, balada, belas paisagens: tudo acontece na Lagoa da Conceição (Divulgação)

Cartão-postal de Floripa, a Lagoa da Conceição ocupa um generoso pedaço da parte central da ilha. Tudo acontece por ali. No chamado “centrinho”, brotam lojas, bares e restaurantes, trazendo muita agitação dia e noite.

Entre o centrinho e a Praia Mole, a Avenida das Rendeiras é famosa pelo artesanato de… Rendas, claro, assim como pelos restaurantes que servem a sequência de camarões. Lá, o pessoal se exercita à beira da lagoa.

Sem acesso rodoviário, é preciso tomar um barco ou encarar uma trilha para chegar na Costa da Lagoa, que tem alguns restaurantes bem simples. Além dos barcos, pranchas de windsurfe e stand-up paddle são vistas com frequência. Para apreciar a lagoa em toda a sua dimensão, siga para os mirantes do Morro da Lagoa e do Ponto de Vista (veja abaixo).

7. Mirante do Morro da Lagoa

Mirante Morro tem a vista mais abrangente da Lagoa da Conceição (Larissa Fraga/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)

Geralmente, é desse mirante que se tem a primeira vista da Lagoa da Conceição. Quem vem do Centro em direção à lagoa pega a Rodovia Admar Gonzaga. Após um trecho de subida e antes de despencar para baixo, surge o mirante, com sua bela vista da Lagoa da Conceição, das dunas da Joaquina e da Praia Mole. Pode ficar tranquilo que no local há um espaço bem amplo e você não atrapalha o tráfego.

Onde fica: Rodovia Admar Gonzaga, s/n

8. Mirante Ponto de Vista

A Mata Atlântica que abraça a Lagoa da Conceição é observada do Mirante do Ponto de Vista (Maikon Almeida/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)

Pode não ser tão alto como o Mirante do Morro da Lagoa, mas tem uma vista mais exuberante com as dunas à esquerda e a lagoa e montanhas à frente. Localizada entre a Praia Mole e a Barra da Lagoa, tem um amplo estacionamento, uma cafeteria e aquela básica loja de souvenires. Infelizmente, o restaurante que funcionava no local está inoperante.

Onde fica: Rodovia Jornalista Manoel de Menezes, 1747 (Praia Mole)

9. Floripa by Bus

Ônibus panorâmico faz três roteiros por Florianópolis (Divulgação)

Febre nas grandes cidades, o passeio de ônibus panorâmico também bate cartão em Florianópolis. São três roteiros com saída e chegada no Shopping Iguatemi – dois diurnos que duram o dia inteiro e um noturno que mescla o passeio de ônibus com uma caminhada pelo Centro Histórico.

O roteiro Todo Sul, realizado aos domingos, passa pela área central, Ribeirão da Ilha, Lagoa do Peri e as praias do Pântano do Sul, Armação e Matadeiro.

Com saídas de terça a domingo, o Toda Ilha percorre o Centro, a Lagoa da Conceição, as praias do leste e do norte da ilha. Antes de chegar ao ponto de partida, ainda para em Santo Antônio de Lisboa.

O tour Luzes da Cidade é feito apenas nas noites de sábado, desbravando o Centro de Floripa.

Os passeios devem ser agendados com, no mínimo, dois dias de antecedência.

  • Onde fica: Avenida Madre Benvenuta, 687 (Santa Mônica)
  • Preços: R$ 50 (Luzes da Cidade) R$ 80 (Todo Sul) e R$ 100 (Toda Ilha)
  • Telefone: 48/3030-0527

10. Projeto Tamar

(Divulgação//Divulgação)

Presente em todo o litoral brasileiro, na luta pela proteção das tartarugas-marinhas, a sede do Projeto Tamar de Florianópolis é a única do Sul do Brasil. Localizada na Barra da Lagoa, bairro após a Praia Mole, exibe tanques com quatro das cinco espécies de tartarugas encontradas nos mares brasileiros.

Nos fins de semana, há a hora do banho, em que a criançada pode tocar no casco e, diariamente às 15h30, o momento da alimentação, quando os visitantes colocam a comida na boca do bichinho. Um museu contanto a história do projeto e uma loja de souvenires completam o passeio.

  • Onde fica: Rua Professor Ademir Francisco, s/n (Barra da Lagoa)
  • Horário: diariamente, das 9h30 às 17h30
  • Preço: R$ 15 (R$ 7,50 para crianças até 12 anos e maiores de 60 anos)
  • Telefone: 48/3236-2015

11. Lagoa do Peri

Mata Atlântica abraça a Lagoa do Peri (João Felipe Garbers/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)

Se a Lagoa da Conceição é um agito só, aqui reina a tranquilidade. O segundo maior espelho d’agua da cidade tem acesso entre as praias do Morro das Pedras e Armação, no sul da ilha. Abraçada pela Mata Atlântica, é um programão para famílias com crianças. Apesar das baixas temperaturas, quem resolver mergulhar na lagoa irá encontrar águas mansas e mais quentes. Se preferir, pode alugar caiaque ou prancha de stand-up padle.

A Lagoa do Peri está dentro de um parque municipal com playground, restaurante simples, boa área para piqueniques e algumas trilhas mata adentro.

  • Onde fica: Rodovia Francisco Thomaz dos Santos, 3150 (Armação)
  • Horário: diariamente, das 7h às 19h
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s