10 programas pouco batidos e grátis (ou quase) em Barcelona

Parques pouco conhecidos, uma vista inusitada da cidade e outros passeios que não pesam no bolso na capital catalã

Tranquilidade total nos Jardins do Palácio de Pedralbes

Tranquilidade total nos Jardins do Palácio de Pedralbes

Verde e paz em Pedralbes

Verde e paz em Pedralbes

1. Jardins do Palácio de Pedralbes

Meu parque preferido em Barcelona é, inexplicavelmente, pouquíssimo frequentado (e absolutamente ignorado pelos turistas). E não porque seja meia boca ou inacessível: fica em plena avenida Diagonal e pertinho das estações de metrô Maria Cristina e Zona Universitária. De segunda a sexta, muitas vezes sou a única pessoa caminhando entre seus jardins floridos em estilo francês, fontes e bosques. Meu refúgio perfeito serve para enfeitar o palácio erguido em 1926 para ser a residência catalã do rei Alfonso XIII. Mais tarde, foi convertido em museu e, hoje em dia, é usado para cerimônias oficiais do governo da Catalunha. No verão, os jardins abrigam um festival finíssimo de música (este ano tive a honra de ver Toquinho cantar ali). No resto do tempo, é aberto ao público e na faixa.

O portão de entrada dos pavilhões Güell, obra de Gaudí escondidinha atrás dos Jardins de Pedralbes

O portão de entrada dos pavilhões Güell, obra de Gaudí escondidinha atrás dos Jardins de Pedralbes

2. Pavilhões Güell

O passeio pelos Jardins de Pedralbes casa perfeitamente com uma passada na porta dos Pavilhões Güell, logo ao lado. Construídos pelo inimitável arquiteto Antoni Gaudí, ícone máximo do modernismo catalão, eles foram abertos ao público recentemente. Não há muito o que ver lá dentro (achei a entrada de €5 um tapa na cara para uma visita que não passa de três minutos). Então vai por mim. O que interessa você vê de fora, de graça: o espetacular portão em forma de dragão.

Interior do Monastério de Pedralbes: uma baita atração negligenciada pelos turistas

O complexo do Monastério de Pedralbes parece uma mini cidadezinha medieval

Outro ângulo do Monastério de Pedralbes

3. Monastério de Pedralbes

Mais uma atração que você pode conciliar nessa escapada ao mundo encantado de Pedralbes (o Morumbi de Barcelona). A dez minutos de caminhada dos Jardins do Palácio de Pedralbes, eis uma atração total e injustamente deixada de lado pelos turistas. O belíssimo conjunto gótico está parcialmente cercado por muralhas e parece uma mini cidadezinha medieval. No interior, além de um lindo claustro ajardinado, há várias exposições interessantes. A entrada custa €5, mas é grátis aos domingos depois da 15h. Bônus: continuando a caminhada ladeira acima, você terá uma vista incrível da cidade de um parque totalmente fora da rota turística.

4. Palau Robert

O endereço não poderia ser mais nobre: a esquina no Passeig de Gràcia (a Champs Elysées de Barcelona) com a Diagonal. No entanto, a maioria dos visitantes passa batido por aqui. Além de ser lindo por dentro, o Palau Robert recebe ótimas exposições gratuitas. Agora mesmo, por exemplo, está em cartaz uma mostra sensacional sobre os 30 anos do Celler de Can Roca, o melhor restaurante da Espanha atualmente.

5. Caixa Forum

É, provavelmente, o centro cultural que recebe as exposições mais importantes que passam por Barcelona. Agora mesmo, está em cartaz uma exposição peso-pesado com obras do museu Thyssen de Madri. A entrada custa módicos €4 (e é grátis para clientes do banco La Caixa – informação válida para quem mora aqui).

6. Hospital Sant Pau

Quando o crescimento acelerado de Barcelona gerou a necessidade de uma sede maior para o hospital Santa Creu i Sant Pau – até então instalado num edifício medieval no bairro do Raval – o gênio da arquitetura modernista Lluís Domènech i Montaner (cujo legado se equipara ao de Gaudí) foi convocado para fazer o novo edifício. De quebra, construiu o hospital mais bonito de todos os tempos, convertido em museu alguns anos atrás. Para saber mais detalhes, leia o post que escrevi sobre o lugar. Fica pertinho da Sagrada Família, mas ainda é muito pouco visitado pelos turistas em geral. A entrada custa € 13 (metade do que se paga para entrar na Casa Batlló, por exemplo) e vale cada centavo. No próximo domingo, no entanto, a entrada será gratuita das 10h às 14h30, com direito a pista de dança (de swing) e música ao vivo. Programão!

Não chega a ser um High Lane de NY, mas é um parque elevado bem bonitinho e tinindo de novo

Não chega a ser um High Line de NY, mas é um parque elevado bem bonitinho e tinindo de novo

20170114_143537

Mais um ângulo do novo Jardim da Rambla de Sants, no coração de um bairro simpático e zero turístico de Barcelona

A fachada do lindo Mercadão de Sants, bem mais tranquilo e barato que a Boquería

A fachada do lindo Mercadão de Sants, bem mais tranquilo e barato que a Boquería

7. Jardins da Rambla de Sants + Mercado de Sants

Não chega a ser um High Line de Nova York, mas Barcelona acaba de ganhar um parque elevado que é bem bonitinho. Além de tudo, ele é uma boa oportunidade para circular por Sants, um bairro simpático e ZERO turístico. O passeio tem que incluir um pit stop no lindo (e autêntico) Mercado de Sants, onde há alguns botecos simpáticos para comer umas tapas e barracas cheias de gostosuras catalãs por preços bem mais amigos que o do Mercado de la Boqueria (onde os vendedores já não têm a menor paciência para turistas).

8. Tour a pé pelo bairro gótico

Está afim de conhecer gente e saber um pouco mais sobre o Bairro Gótico, o mais antigo de Barcelona? Uma boa ideia é embarcar nos tours guiados (a pé) da Free Walking Tours Barcelona. Funciona como os demais passeios nesses estilo que rolam em muitas outras cidades do mundo: no final, cada um dá uma caixinha para o guia (que costuma fazer por merecê-la). Ou não.

Parque do labirinto: um segredo de Barcelona

Parque do labirinto: um segredo de Barcelona

9. Parque do Labirinto

Mais um parque incrível para provar que nem só do Park Güell vive Barcelona. Como o nome sugere, a grande atração aqui é um labirinto delineado por arbustos. O lugar, ultra romântico, ainda tem laguinhos, bosques, fontes. Chegar lá é fácil, basta pegar a linha 3 (verde) no centro e descer na estação Mundet. A entrada custa €2.

10. Bunker do Carmel

A vista mais impressionante de Barcelona não é a do Park Güell. O melhor lugar pra ver a cidade do alto é do Bunker do Carmel, construído em 1939 durante a Guerra Civil Espanhola. Ignorado pelos turistas, o lugar é cultuado à boa miúda e fica ainda mais especial no fim da tarde. O jeito mais simples de chegar lá é pegar o ônibus da linha 24 na Plaça Catalunya e descer na parada Doctor Bové-Gran Vista. De lá, é preciso caminhar por mais cerca de 5 minutos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s